Natal 2020: dicas de decoração para sua casa ou apartamento alto padrão!

Para muitas pessoas, o Natal é a época mais inspiradora e especial do ano. Este também é o período perfeito para investir numa decoração super temática, que combine muito com uma época que traz muita cor e vida para nossos lares.  E por que não trazer ainda mais bom gosto para a decoração natalina? Mais do que simplesmente uma árvore simples e um presépio, essa época do ano pode servir para apostar em itens de alto padrão e trazer ainda mais sofisticação para o seu Natal. Confira nossas dicas!  Árvore de Natal  Um dos maiores símbolos do Natal, uma árvore de Natal chamativa traz muita elegância para seu lar. Há árvores que vão de menos de 1 metro até mais de 30 metros de altura. É importante decidir onde você irá posicionar sua árvore, uma vez que a decoração de uma árvore interna é diferente de uma árvore que fique na parte externa.  Para o caso de árvores grandes, é possível utilizar uma escada para decorar. Também vale a pena apostar em luminárias para trazer um ar ainda mais charmoso para sua árvore. O resultado certamente será uma árvore exuberante em sua decoração natalina!  Sala de Jantar  A decoração da sala de jantar também merece uma atenção especial nessa época do ano. Diversos itens podem dar um toque mais luxuoso e sofisticado para esse ambiente. Você pode utilizar arranjos florais e cestas de frutas, além de velas. Toalhas com cores temáticas podem trazer ainda mais alegria à mesa. E não se esqueça de utilizar suas melhores louças. Muito bom!  Enfeites Natal definitivamente não é época de ser tímido na decoração. Se você deseja diferenciar sua casa das demais, enfeites maiores podem trazer o toque especial que você procura. Caixas de presente decorativas, puffs, guirlandas, laços, meias natalinas próximas à lareira, entre outros: todos esses enfeites tornarão sua decoração temática ainda mais criativa!  Luzes  A iluminação pode ser a diferença entre uma decoração apenas boa e uma de cair de cair o queixo. Investir em luminárias, abajures e luz de velas pode trazer todo o charme que combina com o período. Além disso, não dá para esquecer das temáticas luzes de natal. Utilize-as para decorar portas, janelas, árvores e trazer muitas cores para sua casa ou apartamento!  A menos de um mês para o Natal, você conferiu algumas dicas de decoração para a época mais especial do ano. E aí, como você vai decorar sua casa ou apartamento? Conta pra gente nos comentários. O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Conheça as vantagens de morar em uma cobertura!

A compra de um imóvel envolve tomar importantes decisões. É preciso conhecer os diversos tipos de imóveis para poder escolher, de maneira assertiva, aquele que mais combina com você e seu estilo de vida.  Hoje, você irá conhecer mais sobre um tipo de imóvel desejado por muitas pessoas. Estamos falando das famosas coberturas. É verdade que adquirir uma cobertura envolve um maior comprometimento financeiro. Entretanto, as vantagens certamente fazem o investimento valer a pena. Será que esse é o imóvel certo para você? Confira!  Mais espaço  Para as pessoas que buscam uma cobertura para morar, o principal atrativo acaba sendo uma maior área útil, principalmente se comparada à área dos outros apartamentos daquele edifício. Mais espaço é um diferencial especialmente atrativo para famílias com vários membros.  Caso você se encaixe nessas especificações, é bem provável que adquirir uma cobertura seja uma ótima opção, já que a área útil de uma cobertura costuma ser consideravelmente maior que a de outras unidades. Com mais espaço e ambientes mais amplos, certamente haverá mais conforto a todos os moradores.  Menos barulho  Estar no apartamento mais alto do edifício também possui vantagens acústicas. Todos os ruídos de buzinas, pessoas, construções e outros sons desagradáveis chegam à cobertura numa intensidade consideravelmente menor. Tudo isso torna o ambiente ainda mais agradável. Além disso, o barulho emitido por você ou as pessoas que moram com você também chega com menor intensidade para os outros moradores do edifício.  Iluminação e ventilação  Por serem localizadas no topo dos edifícios, as coberturas contam com maior exposição ao sol. Isso acontece pois, geralmente, não há sombra de outros prédios incidindo sobre seu imóvel.  Além disso, estar numa posição mais alta também torna a circulação de ar mais intensa, tornando a ventilação mais proeminente durante o dia. Para quem busca casa ventilada e iluminada o dia todo, morar em uma cobertura pode ser ideal!  Vista  Morar no local mais alto de um prédio certamente propicia uma visão privilegiada. A sensação de estar “mais perto do céu” e poder ver o horizonte de um ponto de vista superior é extremamente prazeroso. Certamente, quem vive em uma cobertura terá momentos para relaxar e esquecer dos estresses do cotidiano. Bom demais!  Valorização  A afirmação a seguir é consenso entre especialistas do ramo imobiliário: coberturas são muito valorizadas. Como vimos anteriormente, motivos para isso não faltam. Metragem maior, conforto acústico, vista privilegiada, iluminação e ventilação, tudo isso torna o imóvel mais atrativo e, consequentemente, mais valorizado.  Para quem deseja comprar para vender futuramente, há boas chances de que se consiga um preço bem superior ao que foi pago no ato da compra. Para isso, é claro, é importante também que o imóvel esteja em bom estado de conservação.  E aí, decidiu se uma cobertura é o imóvel certo para você? Acesse nosso site e confira todas as opções de coberturas alto padrão disponíveis! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

As principais vantagens de morar em um condomínio!

Morar em condomínio fechado tem despertado o interesse de cada vez mais gente. E não é à toa: bons condomínios residenciais costumam atender às principais demandas dos moradores, como segurança, qualidade de vida e privacidade.  Por isso, imóveis alto padrão em condomínio costumam ter mais valor agregado, principalmente os localizados em bairros tradicionais. Confira as vantagens principais de morar em um condomínio!  Segurança constante  Uma das principais vantagens citadas quando falamos sobre morar em condomínio diz respeito à sensação de segurança que esse tipo de construção possui. Cada vez mais, esse senso de proteção e tranquilidade tem sido requisito na hora de escolher um imóvel. Em condomínios alto padrão, geralmente é possível encontrar:  Monitoramento com câmeras de segurança Portaria 24 horas Controle de identificação e entrada e saída de moradoresSegurança e ronda constante  Infraestrutura Outro ponto extremamente positivo de morar em condomínio são as áreas comuns e de lazer diferenciadas. Todos esses espaços são pensados cuidadosamente para proporcionar mais praticidade e comodidade aos moradores. Alguns exemplos de espaços comuns em condomínios são:  PiscinaChurrasqueiraSalão de festas Espaço fitness/academia Brinquedoteca  Dessa forma, diversas atividades de saúde, bem-estar e lazer podem ser realizadas no conforto do próprio condomínio, sem a necessidade de procurar estabelecimentos externamente.  Qualidade de vida  Outro diferencial oferecido pelo condomínio está justamente na qualidade de vida. Condomínios geralmente contam com parques, áreas arborizadas e com gramados, além de atividades esportivas como golfe e futebol. Alguns condomínios possuem até mesmo um caráter mais sustentável, possuindo horta própria e fazendo o uso de energia solar e reaproveitamento de água.  Vida em comunidade Conviver com outras pessoas é essencial. No dia a dia tão corrido, entretanto, nem sempre é fácil manter um círculo social bem estabelecido. Um condomínio torna essa tarefa facilitada, uma vez que os moradores podem usufruir de bons momentos nas áreas comuns disponíveis para lazer.  Para algumas faixas etárias, como a terceira idade, contar com o apoio e amizade dos vizinhos para todas as horas também é extremamente necessário e, acima de tudo, benéfico.  Manutenções constantes  No dia a dia, é comum que o lugar em que moramos precise de manutenções e reparos. No caso de um condomínio, essa responsabilidade fica por parte da administração do condomínio, e não do morador. Além disso, serviços como pinturas, faxinas de áreas comuns e jardinagem também são de responsabilidade administrativa.  E aí, o que achou? Pronto para morar em um condomínio alto padrão? Então confira as casas em condomínio disponíveis em nosso site. O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Inventário: o que é e como fazer? Confira o passo a passo!

De maneira resumida, um inventário se trata de um documento no qual são listados todos os bens deixados por uma pessoa falecida. Este documento é necessário para que o processo de herança possa ser iniciado. No caso de bens imóveis, estamos falando de casas, apartamentos ou até mesmo imóvel comercial deixado pelo familiar.  Pensando nisso, preparamos um passo a passo visando esclarecer as etapas da criação de um inventário, uma vez que o processo costuma ter uma certa burocracia. Esperamos que esse guia possa tornar esse momento, que pode ser difícil para muitas pessoas, um pouco mais leve e harmonioso. Confira!  1) Escolha do cartório e contratação do advogado  As primeiras escolhas que devem ser feitas são a do cartório e do advogado - o melhor é que seja um especialista em direito sucessório e de família. Estes serão os intermediários da relação entre os herdeiros, além da condução de todo o processo de maneira segura e justa.  Caso a família já esteja de acordo com os itens do inventário e as questões de herança previamente, é possível realizar os procedimentos de forma extrajudicial. Entretanto, o melhor é sempre contar com profissionais para garantir que todos os trâmites estão sendo seguidos de maneira correta.  2) Nomeando o inventariante  A família, juntamente com o advogado escolhido, deverá nomear uma pessoa para ser o inventariante, uma espécie de porta-voz dos demais envolvidos no processo de herança.  É do inventariante o papel de responder legalmente pelos encaminhamentos do inventário, auxiliando para que a conclusão do processo seja a mais ágil possível. Dessa forma, será possível saber exatamente a respeito dos itens a serem herdados disponíveis no inventário. 3) Levantamento dos bens e dívidas No inventário, devem constar não apenas os bens do falecido, mas também suas dívidas. Isso acontece pois alguns bens poderão ser, inclusive, utilizados como forma de pagamento das dívidas pendentes.  Nesta etapa também ocorrem as negociações das dívidas. Por todos esses motivos, o mais indicado é contar com o auxílio de um advogado, para que todas as dúvidas que surgirem sejam respondidas.  4) Pagamento do imposto  Para dar sequência ao inventário, será necessário realizar o pagamento do Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD). Esse tributo serve para finalizar o processo de partilha de bens após a definição de todos os itens listados anteriormente, dando então acesso à herança deixada.  Depois disso, os herdeiros devem registrar os bens em seus nomes para que possam acessá-los. Esse pedido deve ser preparada pelo advogado, que então enviará para o juíz, que irá julgar e, em seguida, homologar a petição.  No caso de um processo extrajudicial, o registro dos bens a serem partilhados é feito pelo escrivão, de acordo com o que os herdeiros estipularam conjuntamente. Após isso, o registro dos bens é feito no nome de cada herdeiro e o processo é finalizado. Os herdeiros podem, a partir de então, tomar posse do que lhes é legalmente assegurado.  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Bairros de Curitiba: conheça o Santo Inácio!

A capital paranaense possui diversos bairros. Cada um deles com detalhes que os tornam únicos e especiais, sendo ideais para determinados estilos de pessoas. Por isso, nos últimos meses temos produzido uma série de artigos para que você conheça Curitiba ainda melhor. Dessa maneira, esperamos facilitar, para você, a difícil escolha de bairro para adquirir sua casa ou apartamento. Anteriormente, os bairros que conhecemos foram: Santa Felicidade Ecoville BatelBigorrilho JuvevêCabral Campo Comprido Água VerdeBacacheri Desta vez, você irá conhecer a história, vantagens e facilidades do bairro Santo Inácio. Preparado para descobrir mais uma região da cidade? Confira! Santo Inácio: história, localização e fatos interessantes  A história do bairro Santo Inácio começa com a colônia de mesmo nome, fundada no fim do século XIX. A terra era cuidada principalmente por imigrantes poloneses e prussianos. Desde o início, a terra da região foi sendo utilizada para o cultivo de alimentos como milho, feijão, centeio, batata, trigo, entre outros.  Atualmente, a região conta com mais de 6 mil habitantes, das quais a maioria é católica e, de modo geral, de classe média ou média alta. O bairro, majoritariamente residencial, faz parte da região administrativa do bairro Santa Felicidade.  Santo Inácio: facilidades e opções de lazer O Santo Inácio oferece opções ágeis tanto para quem usa transporte coletivo quanto para aqueles que optam por alternativas de mobilidade particulares.  Isso porque o bairro fica próximo ao Terminal do Campina do Siqueira e também de avenidas como a Cândido Hartmann. Além disso, há o acesso facilitado para vias como a BR-277.  Provavelmente o ponto turístico mais conhecido do bairro seja o Parque Barigui, utilizado tanto para lazer quanto para prática de atividades físicas.  Por ser vizinho de outros bairros, a região do Santo Inácio também torna acessível locais como o ParkShopping Barigui, além de boas opções de bares e restaurantes para quem deseja curtir a vida noturna da região.  Há opções de clínicas e hospitais, como o Evangélico, nos bairros próximos ao Santo Inácio. Para quem busca estudar na região, vale a pena conhecer a Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), tradicional universidade privada da capital.  Além disso, há boas opções de comércios e serviços essenciais para o dia a dia, como mercearias, postos de gasolina, panificadoras, entre outras. Pode-se afirmar que o Santo Inácio é uma escolha acertada para pessoas que desejem um estilo de vida mais tranquilo, como idosos e casais em busca de um bairro tradicional e bem localizado.  Seleção de imóveis 1) O primeiro imóvel da nossa seleção é essa casa em condomínio é a definição de conforto e sossego. Com uma área verde deslumbrante, ambientes arejados, sala principal com lareira e uma área gourmet super integrada, não tem como não querer se mudar agora mesmo!  2) O segundo imóvel da nossa seleção é a verdadeira casa dos sonhos. Para quem ama uma decoração mais contemporânea com um acabamento preciso e detalhado, este é o imóvel certo. Além disso, a casa em condomínio fica pertinho do Parque Barigui. Incrível!  3) O último imóvel dessa seleção incrível é sinônimo de perfeição. Fachada, área interna e todos os ambientes projetados e decorados de maneira primorosa, essa casa em condomínio possui muito espaço e área verde, além de estar em uma região privilegiada do Santo Inácio. Tem coisa melhor?  E aí, o que achou do Santo Inácio? O bairro combinou com seu estilo de vida? Conta pra gente nos comentários! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

5 livros essenciais para quem deseja investir em imóveis

Para quem deseja investir em imóveis, conhecimento nunca é demais. Além do conhecimento que só vem com a prática, é necessário também buscar conteúdo teórico de várias fontes e especialistas.  Pensando nisso, preparamos uma lista com alguns livros que se destacam quando o assunto é o investimento em fundos imobiliários. Boa leitura!  1) Aprenda a Investir em fundos imobiliários (Eric Dornelas) Este é um guia completo sobre investimentos imobiliários, trazendo o máximo de conhecimento para investidores iniciantes. Além disso, o livro aborda os principais itens necessários para trazer a sensação de segurança para quem pretende fazer do ramo imobiliário um negócio lucrativo. Aprenda sobre valorização de imóveis, identificação de taxa de vacância, planejamento estratégico de primeira linha, além da organização e funcionamento do mercado financeiro e bolsa de valores. Uma aula de educação financeira! 2) Lucre com Imóveis - Crie Patrimônio e Renda (Ricardo Reis) Neste livro, o autor Ricardo Reis utiliza a ferramenta de estudo de caso para mostrar exemplos importantes no que diz respeito à investimentos imobiliários. E, principalmente, o que costuma funcionar (ou não funcionar) na busca pela lucratividade com imóveis. Tudo isso com uma linguagem acessível, buscando realmente ajudar pessoas interessadas em gerar renda com fundos imobiliários. 3) Aposentando com fundos imobiliários (Sandro Santos) Para muitas pessoas, investir em imóveis significa a possibilidade de uma aposentadoria mais tranquila e até mesmo antecipada. Neste livro, o especialista em negociações Sandro Santos nos introduz a um passo a passo essencial para quem procura investir em imóveis pensando no futuro. Entre os assuntos abordados, podemos citar a conquista de renda mensal com aplicações, além do aprendizado com a finalidade de tomar decisões pautadas em análises financeiras mais elaboradas. Outros temas recorrentes no livro são as vantagens de investir em fundos, bem como alta liquidez e juros que superam a taxa básica. 4) Millionaire Real Estate Investor (Gary Keller) O empresário, investidor imobiliário e autor best-seller americano Gary Keller nos apresenta, neste livro, dezenas de entrevistas com investidores imobiliários bem sucedidos. Este livro aborda o mindset necessário para se tornar um investidor bem sucedido. Para quem deseja aprender com outros investidores, ou até mesmo precisa daquela dose de inspiração para investir, esse livro é a escolha certa! 5) Guia Suno de Fundos Imobiliários (Marcos Baroni e Danilo Bastos) Este é um dos livros sobre investimentos imobiliários mais buscados nacionalmente. As análises contidas contemplam diferentes perfis de investidores, além de conceitos como diversificação de ativos, oscilação de preços, entre outros. Imperdível!  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades!

Horta em casa ou apartamento: dicas para montar a sua!

Montar uma horta na sua casa ou apartamento é menos complicado do que parece. E ter uma horta domiciliar possui diversas vantagens. Nada melhor que possuir temperos e vegetais frescos e ao alcance de todos na hora de preparar refeições, não é mesmo?  Pensando nisso, preparamos as dicas principais de tudo que é necessário para montar uma horta incrível e funcional em sua casa ou apartamento. Confira!  Montando uma horta: passo a passo  Inicialmente, a primeira coisa a se pensar é que a horta deve ser instalada em um lugar com luz solar frequente, por pelo menos cinco horas por dia.  Pode ser próxima a uma parede que bata sol ou ainda na sacada ou janela. Se isso não for possível, será necessário optar por plantas que exijam menor quantidade de luz solar.  Após escolher o local, é importante decidir se você irá plantar brotos ou sementes. O primeiro costuma ser mais fácil, pois são pequenas plantas que podem ser colocadas nos vasos. Os brotos costumam se desenvolver mais rapidamente, apesar de não serem tão baratos quanto as sementes.  As sementes são uma opção mais econômica, mas costumam requerer mais experiência. Além disso, nem sempre é possível ter certeza de que as sementes germinarão. Para essa opção, é necessário esperar o processo de germinação e, em seguidas, transferir os brotos para um vaso maior. Após essas dicas iniciais, siga o passo a passo abaixo:  Escolha os vasos ou jardineira e prepare-os. O fundo pode ser coberta com uma manta geotêxtil, a qual impede vazamento e escoamento de terra quando você for regar as plantas.  Escolha as plantas que deseja cultivar. Algumas sugestões são hortelã, salsinha e cebolinha para temperos. Tomate cereja, morangos e amoras são boas opções de frutos para uma horta domiciliar. Já para quem deseja cultivar hortaliças, alface e espinafre são boas alternativas.  Para o plantio, utilize terra especial. Esse item pode ser encontrado facilmente em casas de jardinagem. É importante, além de escolher a terra certa, plantar cada semente ou broto com espaçamento suficiente entre um e outro. Isso garante que as raízes possam se desenvolver adequadamente. Por último, cubra as futuras plantas com mais terra.  Após o plantio, é necessário avaliar se os vasos estão posicionados da maneira correta. Algumas plantas precisam de mais ou menos exposição solar, então é imprescindível garantir que seus brotos estão recebendo a quantidade de água e sol necessários para sobreviver e crescer. Acompanhe o progresso diariamente e, se necessário, mude a posição de alguns vasos para melhores resultados.  Horta em casa: vida saudável, sustentabilidade e decoração  Além das dicas acima, não podemos esquecer de mencionar que, além de tudo, uma boa horta também enriquece a decoração da casa. Por isso, utilize latas decoradas, garrafas e outros elementos de jardinagem que trazem um ar mais personalizado para sua horta particular.  Viu só como ter uma horta em casa é possível? Com um pouco de cuidado e dedicação, você logo terá um espaço que irá propiciar, além de alimentos frescos e orgânicos, um upgrade sustentável na decoração do seu lar. Bom demais!  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

Como reduzir a mensalidade do financiamento imobiliário?

Ao entrar em um financiamento imobiliário, muitas pessoas acreditam que irão pagar parcelas mensalmente por várias décadas, com dívidas que podem chegar a durar até 30 anos. Entretanto, nem sempre quitar a dívida de uma casa ou apartamento precisa demorar tanto tempo. Isso porque a chamada amortização de um financiamento pode tornar esse tempo consideravelmente menor. Pensando nisso, preparamos dicas para te ajudar a entender como aplicar a amortização no seu financiamento imobiliário. Confira! O que significa amortizar? Muitas pessoas acreditam que amortizar está limitado apenas ao ato de pagar a mensalidade com antecedência. No entanto, o significado de amortizar está mais atrelado a pagar o valor principal da parcela, excluindo juros e encargos. Quando realizar a amortização? Ao receber um dinheiro extra ou juntar uma reserva, muitas pessoas podem achar que é a situação perfeita para amortizar a dívida. Entretanto, é imprescindível avaliar cuidadosamente a questão da rentabilidade. Por isso, calcule se a uma eventual aplicação não irá render mais retorno do que a amortização. Isso tudo deve ser ponderado a partir da comparação entre as taxas de juros do financiamento e a rentabilidade da aplicação. Se a rentabilidade aplicando for menor, amortizar pode ser uma boa opção, principalmente levando em conta que isso irá reduzir o impacto dos juros nas mensalidades. Possibilidades para amortizar No Brasil, duas formas muito utilizadas para calcular as parcelas do financiamento são a tabela SAC (Sistema de Amortização Constante) e a Price. Como o próprio nome já denota, na primeira opção a amortização é constante. Assim, digamos que você financia R$100 mil em 10 parcelas, com juros de 10%. A primeira mensalidade será de R$ 20 mil (R$ 10 mil do valor principal e mais os 10% de juros para pegar o empréstimo. Na segunda mensalidade, como já foram pagos R$ 10 mil, minha dívida restante é de R$ 90 mil. O valor a ser pago será de R$ 10 mil + R$ 9 mil, referentes aos 10% de juros dos R$ 90 mil restantes. Já na Tabela Price, a amortização pode acontecer de duas maneiras. É possível manter o valor da mensalidade e diminuir o prazo. Entretanto, também é possível manter o prazo e diminuir o valor mensal gradativamente. É possível ainda solicitar a portabilidade de banco. Se, por exemplo, um financiamento foi realizado há 3 anos em um banco com juros a 12% e, eventualmente, você encontra um banco com uma taxa menor, é possível mudar de banco e reduzir consideravelmente o valor das prestações e o valor da dívida. Uma terceira possibilidade é utilizar o saque do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), uma vez que se trata de um dinheiro parado e com baixo rendimento.Entretanto, é necessário estar atento para o fato de que, caso o FGTS seja utilizado, a reserva financeira não estará mais disponível em caso de demissão. Em caso de mais dúvidas sobre financiamento imobiliário, entre em contato com a nossa equipe. O blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

Vistoria de um imóvel: o que é e como funciona?

A vistoria de um imóvel busca avaliar a condição e encontrar problemas na estrutura física de um imóvel. Essa avaliação deve ser realizada durante as negociações para comprar um imóvel, garantindo que o futuro dono está ciente de todos os detalhes acerca do bem que está prestes a adquirir.  A vistoria é também é importante pois identifica detalhes que poderiam passar despercebidos em uma visitação comum. Mas será que você conhece os principais itens a serem avaliados em uma vistoria? Confira!  Como funciona a vistoria do imóvel?  Como vimos anteriormente, a vistoria pode ser resumida como uma minuciosa análise da infraestrutura de uma casa ou apartamento. Para tanto, é necessário que essa atividade seja exercida por um especialista. Essa avaliação cabe a um vistoriador ou, em alguns casos, ao próprio corretor.  Para que a vistoria seja válida, é necessário elaborar um laudo de vistoria. Neste relatório, as informações que devem estar contidas incluem, entre outras:  Tamanho do imóvel: é necessário checar se as dimensões do imóvel estão de acordo com as que foram anunciadas. Para isso, é imprescindível ter em mãos a planta do imóvel.  Estado de conservação dos móveis, para o caso de casa ou apartamento previamente mobiliados.  Instalações elétricas e hidráulicas: é necessário avaliar se o quadro de luz está dentro das normas técnicas de segurança, além de verificar o funcionamento de tomadas, chuveiros, interfones e campainhas. Quanto à parte hidráulica, o vistoriador deve ter a certeza do bom funcionamento de torneiras, descargas e encanamentos do imóvel.  Pintura e rachaduras: é necessário analisar o estado de conservação das paredes, procurando por rachaduras, bolhas, manchas e outras imperfeições nos ambientes.  Pisos, forros, revestimentos: a avaliação deve garantir que essas estruturas estão firmes e em bom estado de conservação.  É importante que a vistoria seja registrada de maneira visual. Portanto, o uso de um celular ou câmera é recomendado. A partir dessa vistoria, são registrados de maneira formalizada os itens que precisam de reparos. Tudo isso mostra, para o futuro comprador, o estado de conservação de sua eventual futura propriedade.  Comumente, a vistoria gera o chamado laudo de vistoria, o qual atesta realmente a questão de infraestrutura de determinada casa ou apartamento. A partir dessa vistoria, será possível realmente avaliar o valor de um imóvel, garantindo que o comprador estará fazendo um bom negócio.  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Reduzir ruídos no apartamento: confira as dicas!

Para que seja um verdadeiro lar, nossa casa ou apartamento deve ser sinônimo de um ambiente que traga tranquilidade, silêncio e privacidade. Para algumas pessoas que moram em apartamento, no entanto, nem sempre é tarefa fácil conseguir um isolamento acústico satisfatório.  Pensando nisso, nesse texto você entenderá a diferenciar os tipos de ruídos existentes, bem como as principais técnicas e ferramentas para garantir o conforto acústico do seu apartamento. Confira!  Quais são os tipos de ruído?  Primeiramente, é necessário verificar a origem do ruído para que seja determinada a melhor solução. De maneira geral, os ruídos podem ser categorizados como:  Ruídos de impacto, sendo aqueles diretamente relacionados aos impactos realizados no apartamento, como passos no andar superior.  Ruídos hidrossanitários, os quais são causados pelo encanamento e tubulação de esgoto do apartamento.  Ruídos aéreos, sendo estes os propagados através de aberturas como frestas e juntas do piso. Alguns exemplos desses ruídos são os constantes sons das ruas, barulho de televisão ou conversas vindo de apartamentos vizinhos.  Principais maneiras de isolar ruídos  Uma vez que sejam identificadas as causas e os tipos de ruído, conseguir realizar o isolamento acústico não deve ser uma tarefa extremamente desafiadora. Abaixo, listamos algumas das principais soluções adotadas por moradores de apartamentos que buscam um cotidiano com menos ruído.  Instalação de janelas acústicas O uso de janelas acústicas é especialmente recomendável caso seu apartamento esteja localizado em uma região próxima a ruas movimentadas e com trânsito frequente. As janelas acústicas possuem camadas duplas ou triplas de vidro para garantir que os ruídos externos irão permanecer do lado de fora.  Caso existam regras e padrões específicos a respeito de tamanho de janelas de cada apartamento, é possível encomendar as janelas sob medida em empresas especializadas em isolamento acústico residencial.  Instalação de forros acústicos  Outra solução para diminuir os ruídos de casa é a instalação de forros acústicos, que garantem um isolamento satisfatório e não demandam um alto investimento. No entanto, é necessário ficar atento à instalação, que deve ser feita a fim de não deixar furos ou frestas pelas quais os futuros ruídos possam vazar.  Portas reforçadas  Muitas portas comuns costumam ser ocas, o que é ineficiente na busca por isolamento acústico. Para melhor resultado, é possível substituir a porta por uma de madeira maciça ou aumentar a espessura com da porta uma folha de MDF.   Tapetes e carpetes  Tapetes e carpetes são bons para que o morador do apartamento consiga reduzir o impacto e, consequentemente, o ruído ouvido por vizinhos do andar de baixo. Essa é uma alternativa barata de isolamento acústico e, certamente, irá garantir seu conforto e o de outros moradores do edifício.  É importante frisar que a NBR, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) estabelece índices mínimos de isolamento para paredes, coberturas, paredes e fachadas de construções residenciais.  Por isso, em uma eventual visita a um imóvel, perguntar à respeito do isolamento acústico do imóvel escolhido é recomendável.  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!