Habite-se: o que é e para que serve o documento?

Adquirir um imóvel envolve um processo de negociação que tende a ser burocrático. As etapas envolvem diversos acordos, licenças, certidões, registros e documentos. Tudo isso serve para garantir que a  transação ocorra de maneira segura e tranquila.   Um dos documentos necessários é o Habite-se, um certificado imprescindível para garantir a segurança de uma propriedade. Pensando nisso, preparamos esse artigo para explicar sobre esse documento fundamental para você, que está prestes a adquirir um imóvel, não esqueça de nenhum detalhe. Para saber mais, confira!  O que é o Habite-se? A partir do início da construção de um imóvel, exige-se que se emita uma licença pela prefeitura que confirme que o terreno, bem como o projeto, estão dentro de todas as normas e regulamentos de segurança exigidos pela legislação.  Após a conclusão da obra, um novo documento deve ser emitido pela prefeitura. Esse documento certifica que o recém-construído imóvel está pronto para ser habitado de maneira segura por quem comprá-lo futuramente.  Este é o documento conhecido como Habite-se. Ao ter o documento emitido, fica comprovado que a construção ou reforma obedeceu às regulações previstas em lei, desde o licenciamento até a conclusão da obra.  É importante mencionar que o Habite-se serve para realizar a solicitação de averbações de construções no Registro de Imóveis, bem como liberar financiamentos imobiliários. O documento também garante que o imóvel tenha oficialmente caráter e valor de propriedade e patrimônio.  Como solicitar e emitir? Para solicitar Habite-se, é necessário apresentar alguns documentos que comprovem que o imóvel foi construído cumprindo obedecendo as normas técnicas estabelecidas na legislação. Alguns exemplos de normas exigidas são:  Segurança nas instalações elétricas; Estruturas e tubulações de gás adequadas;Redes de água e esgoto dentro do exigido.  É necessário, também, apresentar os laudos do arquiteto contratado (emitido pela Secretaria de Urbanismo) e do corpo de bombeiros. Também é realizada uma vistoria em todos os aspectos listados acima.  Além disso, é nessa etapa que se exige a documentação referente aos trâmites de construção do imóvel. Os documentos podem variar de acordo com cada município, mas geralmente os seguintes documentos são solicitados:  Atestados das companhias de energia, água, esgoto e corpo de bombeiros; Comprovante de quitação do Imposto Sobre Serviço (ISS); Anotação de Responsabilidade Técnica (ART);RG e CPF (pessoa física) ou CNPJ e Contrato Social (pessoa jurídica) do solicitante; Capa do IPTU do imóvel; CREA identificando o profissional responsável, bem como sua Inscrição Municipal; Capa do IPTU do imóvel; Projetos de construção aprovados; Alvará de Construção.  É importante solicitar o Habite-se do imóvel por várias questões. Primeiramente, ocupar um imóvel sem essa documentação é irregular e passível de multa para o dono do terreno. Além disso, a averbação da construção e registro da matrícula do imóvel só são emitidos mediante apresentação deste certificado.  Para o caso de imóveis comerciais, sem o Habite-se não é possível emitir alvará de funcionamento do negócio, inviabilizando quaisquer atividades comerciais naquele empreendimento.  Algumas cidades já contam com a possibilidade de solicitação e emissão on-line do Habite-se, tornando o processo mais simples e ágil. Portanto, não deixe de solicitar o seu.  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Escritura, contrato e registro do imóvel: entenda a diferença!

A burocracia do setor imobiliário pode confundir muita gente. Frequentemente, muitas pessoas acreditam que o contrato ou a escritura do imóvel são os únicos documentos necessários para que se estabeleça a transferência de uma propriedade.  Entretanto, esses dois documentos não bastam para que a transação seja completamente efetivada. Na verdade, a legislação brasileira estabelece que: 1) O contrato de compra e venda é uma garantia de que as duas partes irão honrar seus compromissos; 2) A escritura é um documento que oficializa a transferência. Porém, o imóvel somente é considerado completamente do novo dono a partir de uma terceira etapa: a realização do Registro do Imóvel. Por isso, aproveite a leitura para entender as diferenças de cada um desses documentos! Contrato e escritura Como dito anteriormente, o contrato é um documento que possui um caráter de acordo mútuo entre as partes, com obrigatoriedades que devem ser legalmente honradas. A escritura é entendida como o próximo passo após o contrato ser firmado. Elaborada no cartório de notas municipal, o documento valida a compra e a venda do imóvel. Em caso de compras à vista, a escritura deve ser confeccionada em um tabelionato de notas. Registro do Imóvel Posteriormente à assinatura da escritura ou contrato, o documento deve ser encaminhado a um cartório de Registro de Imóveis. No entanto, é necessário ficar atento: a localização do imóvel é o fator que define em qual cartório o registro deve ser realizado. Por isso, pesquise previamente para saber em qual cartório você deverá registrar o seu imóvel ou verifique com a imobiliária. A transferência da propriedade é registrada na matrícula do imóvel, na qual estão contidas informações como dados do proprietário e histórico. Em um próximo post, explicaremos o que é a matrícula do imóvel.  Informações sobre financiamento devem constar no registro. Dessa forma, após a quitação, o novo proprietário poderá transferir o imóvel para terceiros sem problemas. Após o registro da escritura, o imóvel é definitivamente do novo proprietário!  O que você achou do conteúdo? Tem mais alguma dúvida relacionada a transações imobiliárias? Não deixe de interagir usando os comentários! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Imóvel na planta, lançamento ou pronto para morar? Confira diferenças e vantagens!

Na hora de escolher um imóvel, muita pesquisa deve ser feita. Afinal de contas, trata-se de um investimento importante, e você quer ter certeza de que fez a melhor escolha. Por isso, muitas pessoas podem ficar em dúvida se é melhor comprar um imóvel já pronto para morar ou investir em uma casa ou apartamento ainda na planta ou recém lançado, por exemplo. Primeiramente, é importante ressaltar que ambos possuem as suas vantagens. Tudo irá depender do tipo de investimento que o comprador está interessado em fazer. Se você está nessa fase de consideração, esse texto é ideal para você! Hoje, no blog da Axis, vamos falar sobre as diferenças entre optar por um imóvel na planta ou lançamento e um já pronto para começar a morar. Vamos lá! Imóvel pronto para morar Um apartamento já pronto para morar acaba sendo a escolha de muita gente. E motivos para isso não faltam. Uma das razões principais para essa escolha é que o futuro proprietário adquire o imóvel com mais agilidade, uma vez que a construção já foi concluída. Além disso, a possibilidade de conhecer o imóvel acaba sendo um atrativo que pesa muito. Com uma construção já terminada, é possível ter uma ideia melhor definida se aquela casa ou apartamento são exatamente do jeito que você queria, sem precisar interpretar uma planta ou um decorado. É possível saber realmente se o tamanho, número de cômodos e arquitetura são de seu agrado. Para os mais detalhistas, é a escolha perfeita! Outro detalhe que pesa muito na escolha de um imóvel pronto é a possibilidade de conhecer o cenário completo. Descobrir, por exemplo, como é a vizinhança. Ou se as regras e facilidades do condomínio são boas o bastante para você assinar o contrato. E também se a região escolhida é a ideal para suas necessidades, seja em questão de conforto ou segurança. Imóvel na planta/lançamento  Em geral, quem opta por adquirir um imóvel (casa ou apartamento) na planta tem menor senso de urgência. Isto é, morar na casa imediatamente não é o objetivo principal. Muitas pessoas que compram imóveis na planta, por exemplo, apostam na valorização do imóvel a longo prazo. Outro argumento utilizado pode estar atrelado a tempo. Talvez, o futuro comprador sinta que precisa de mais tempo para pensar e negociar a futura moradia. Além disso, outro ponto muito importante são as condições de pagamento, pois é possível ter pagamentos parcelados. As possibilidades de negociação, e o planejamento financeiro neste caso são maiores. Para esse público, a Axis 21 tem as últimas opções do mercado. O Maison Legend Ecoville, da A.Yoshii, ainda em construção, pode agradar muito pela funcionalidade, sofisticação e design que apresenta. Também o Denmark Hygge, que traz o conceito Hug House, é o último lançamento da Thá no Cabral. Como tomar a melhor decisão?  Todos esses fatores podem fazer muita diferença e serem decisivos para fechar um negócio. E, independentemente do que seja decidido, nossa dica é sempre procurar uma imobiliária que esteja preparada para atender suas necessidades e encontrar o imóvel perfeito para você, seja ele direto na planta, lançamento ou pronto para morar. Afinal, sua futura casa será parte da sua história! Conte com a Axis 21 para encontrar o imóvel perfeito para construir a sua história. Temos as melhores novidades de Curitiba, sejam de imóveis prontos ou de lançamentos. Procure nossa equipe! E aí, o que achou das nossas dicas? O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

Averbação: descubra o que é e quando averbar

O processo de compra ou venda imobiliária exige muita atenção do ponto de vista legislativo. É importante que os envolvidos nessas transações compreendam o significado de certos termos, garantindo que nenhum detalhe seja deixado para trás.  Pensando nisso, no post de hoje iremos falar sobre a averbação de imóveis. Esse termo, ainda desconhecido para algumas pessoas, é de extrema importância para o mercado imobiliário. Confira!  Afinal, o que é averbação de imóveis? A averbação pode ser definida de maneira simples, apesar do nome soar complexo. Esse termo é utilizado para definir a ação de modificação no teor de um registro, como por exemplo o de um imóvel.  Dessa forma, pode-se dizer que averbar é uma atitude tomada a fim de formalizar todas as eventuais alterações realizadas no registro do imóvel. Ou seja, é uma espécie de histórico detalhando todas as mudanças ocorridas no imóvel ou nas condições de seus proprietários.  Alguns exemplos do uso prático da averbação é a de formalizar a construção ou demolição de cômodos, reformas e alterações em salas e/ou lotes, etc. Todas essas alterações exigem averbação. Além dessas, alterações de caráter civil (como óbito, casamento, divórcio) do (s) dono (s) também precisam ser documentadas.  Saiba mais: descubra a diferença entre escritura, contrato e registro do imóvel Qual a utilidade de averbar? A aplicação prática é principalmente uma: segurança. Com todas as informações do imóvel sendo públicas, garante-se credibilidade e validade jurídica. A averbação garante a transparência e a proteção de direitos, e o acesso a essas informações possui impactos até mesmo na valorização do imóvel. Como e quando fazer a averbação do imóvel? Para que a averbação possa ser realizada, é necessário ir ao cartório de registro de imóveis deste bem. Além disso, você precisará apresentar a documentação solicitada. Os documentos requeridos variam de acordo com a averbação a ser feita. O alvará será solicitado em caso de uma demolição, por exemplo. Ou ainda a certidão, caso a alteração seja referente a um casamento.  Importante: assim que você perceber a necessidade de averbação, dirija-se ao cartório de registro de imóveis. Existem mais de 30 casos de necessidade de averbação na Lei de Registros Públicos, Abaixo, separamos alguns deles. Confira!  Mudança na numeração do imóvel ou prédio Alterações no sobrenome por casamento e/ou desquite Restabelecimento da sociedade conjugalFim da concessão do direito real de uso Construções, reformas, demolições, etc.  Caso a documentação esteja toda em dia, o prazo médio para a averbação ser concluída é de 30 dias a partir da solicitação de abertura do protocolo. É importante reforçar que, além de importante, averbar é uma atitude obrigatória. Caso contrário, não é possível realizar a compra e venda de um imóvel.  E aí, o que achou do conteúdo? Tem mais alguma dúvida em relação a este assunto? Conta pra gente nos comentários! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente. Até a próxima!

Guia para investir em imóveis em 2021!

Em 2020, a instabilidade econômica causada pela pandemia mostrou aos investidores a real importância de diversificar seus ativos. Com isso, muitas pessoas se voltaram a um ramo de investimento tradicionalmente seguro e rentável: o segmento imobiliário.  Para 2021, acredita-se que o mercado de imóveis estará aquecido. Isso dá aos investidores ainda mais confiança e possibilidades de investimento dentro de um ramo que, ao contrário de outros mercados, tem tudo para apresentar um crescimento considerável.  Motivos para isso não faltam: a Selic continua historicamente baixa, o que torna as condições de compra e financiamento de imóveis mais facilitada em bancos de iniciativa pública e privada.  Pensando nisso, preparamos um guia sugerindo os tipos de investimentos que podem ser realizados e as principais opções para ganhar dinheiro com imóveis em 2021. Confira!  Ganhar com aluguel  Se você tiver um imóvel próprio não utilizado ou deseja adquirir um novo, alugar pode ser uma alternativa fácil e rentável. Isso porque, atualmente, é mais fácil conseguir locatários para seus imóveis. Grande parte da geração nascida nos anos 90 e 2000 prefere alugar do que comprar. Isso acontece por diversos fatores, mas os principais são que os jovens adultos de hoje em dia buscam mais mobilidade, seja por conta de viagens mais constantes ou a busca de oportunidades de emprego e moradia em outros bairros e cidades.  Por isso, caso você deseje um investimento que traga retorno ágil, alugar pode ser uma opção interessante!  Investindo em fundos imobiliários  Fundos Imobiliários (FII) dizem respeito a investimentos destinados a empreendimentos imobiliários. Além da aquisição de direitos reais sobre bens imóveis, os fundos incluem o investimento em títulos relacionados ao segmento imobiliário.  Alguns exemplos são as letras de crédito imobiliário (LCI), letras hipotecárias (LH), certificados de potencial adicional de construção (CEPAC), certificados de recebíveis imobiliários (CRI), entre outros.  A principal maneira de retorno sobre investimento de um FII é por meio de uma distribuição periódica de resultados, que costuma ser mensal ou semestral. A renda desse fundo pode vir de aluguéis, receita relacionada à incorporação ou ganho de capital na venda dos direitos reais sobre os imóveis, ou ainda juros ganhos com os títulos imobiliários.  Pela variedade de possibilidades de retorno, investir em fundos imobiliários pode ser uma boa alternativa.  Reformar para revenda  Para quem busca um lucro mais robusto, uma boa opção pode ser comprar imóveis que precisam de reforma com o objetivo de reformar e/ou restaurar e vender. Esse tipo de investimento é vantajoso pois o valor pago pelo imóvel é relativamente baixo. O investimento em reformas pode ser vantajoso pois imóveis bem conservados tendem a ser mais valorizados, o que tende a aumentar o preço de revenda,  Investindo em imóveis alto padrão  Num período de Selic com baixa histórica, investidores diminuem suas aplicações em renda fixa. No caso de aplicações em renda variável, a instabilidade e incerteza está ligada a não saber se a economia irá se recuperar num futuro próximo. Assim, o aumento em ativos imobiliários tem aumentado significativamente. Além disso, o aumento na compra de moradias de alto padrão está ligado a um “novo normal” que pede mais espaço para a convivência em família e trabalho de maneira remota. Esses fatores tornam o mercado imobiliário de alto padrão um mercado em ascensão no cenário econômico brasileiro. Para quem busca investir em casas e apartamentos, a hora é agora! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Conheça as vantagens de morar em uma cobertura!

A compra de um imóvel envolve tomar importantes decisões. É preciso conhecer os diversos tipos de imóveis para poder escolher, de maneira assertiva, aquele que mais combina com você e seu estilo de vida.  Hoje, você irá conhecer mais sobre um tipo de imóvel desejado por muitas pessoas. Estamos falando das famosas coberturas. É verdade que adquirir uma cobertura envolve um maior comprometimento financeiro. Entretanto, as vantagens certamente fazem o investimento valer a pena. Será que esse é o imóvel certo para você? Confira!  Mais espaço  Para as pessoas que buscam uma cobertura para morar, o principal atrativo acaba sendo uma maior área útil, principalmente se comparada à área dos outros apartamentos daquele edifício. Mais espaço é um diferencial especialmente atrativo para famílias com vários membros.  Caso você se encaixe nessas especificações, é bem provável que adquirir uma cobertura seja uma ótima opção, já que a área útil de uma cobertura costuma ser consideravelmente maior que a de outras unidades. Com mais espaço e ambientes mais amplos, certamente haverá mais conforto a todos os moradores.  Menos barulho  Estar no apartamento mais alto do edifício também possui vantagens acústicas. Todos os ruídos de buzinas, pessoas, construções e outros sons desagradáveis chegam à cobertura numa intensidade consideravelmente menor. Tudo isso torna o ambiente ainda mais agradável. Além disso, o barulho emitido por você ou as pessoas que moram com você também chega com menor intensidade para os outros moradores do edifício.  Iluminação e ventilação  Por serem localizadas no topo dos edifícios, as coberturas contam com maior exposição ao sol. Isso acontece pois, geralmente, não há sombra de outros prédios incidindo sobre seu imóvel.  Além disso, estar numa posição mais alta também torna a circulação de ar mais intensa, tornando a ventilação mais proeminente durante o dia. Para quem busca casa ventilada e iluminada o dia todo, morar em uma cobertura pode ser ideal!  Vista  Morar no local mais alto de um prédio certamente propicia uma visão privilegiada. A sensação de estar “mais perto do céu” e poder ver o horizonte de um ponto de vista superior é extremamente prazeroso. Certamente, quem vive em uma cobertura terá momentos para relaxar e esquecer dos estresses do cotidiano. Bom demais!  Valorização  A afirmação a seguir é consenso entre especialistas do ramo imobiliário: coberturas são muito valorizadas. Como vimos anteriormente, motivos para isso não faltam. Metragem maior, conforto acústico, vista privilegiada, iluminação e ventilação, tudo isso torna o imóvel mais atrativo e, consequentemente, mais valorizado.  Para quem deseja comprar para vender futuramente, há boas chances de que se consiga um preço bem superior ao que foi pago no ato da compra. Para isso, é claro, é importante também que o imóvel esteja em bom estado de conservação.  E aí, decidiu se uma cobertura é o imóvel certo para você? Acesse nosso site e confira todas as opções de coberturas alto padrão disponíveis! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

5 livros essenciais para quem deseja investir em imóveis

Para quem deseja investir em imóveis, conhecimento nunca é demais. Além do conhecimento que só vem com a prática, é necessário também buscar conteúdo teórico de várias fontes e especialistas.  Pensando nisso, preparamos uma lista com alguns livros que se destacam quando o assunto é o investimento em fundos imobiliários. Boa leitura!  1) Aprenda a Investir em fundos imobiliários (Eric Dornelas) Este é um guia completo sobre investimentos imobiliários, trazendo o máximo de conhecimento para investidores iniciantes. Além disso, o livro aborda os principais itens necessários para trazer a sensação de segurança para quem pretende fazer do ramo imobiliário um negócio lucrativo. Aprenda sobre valorização de imóveis, identificação de taxa de vacância, planejamento estratégico de primeira linha, além da organização e funcionamento do mercado financeiro e bolsa de valores. Uma aula de educação financeira! 2) Lucre com Imóveis - Crie Patrimônio e Renda (Ricardo Reis) Neste livro, o autor Ricardo Reis utiliza a ferramenta de estudo de caso para mostrar exemplos importantes no que diz respeito à investimentos imobiliários. E, principalmente, o que costuma funcionar (ou não funcionar) na busca pela lucratividade com imóveis. Tudo isso com uma linguagem acessível, buscando realmente ajudar pessoas interessadas em gerar renda com fundos imobiliários. 3) Aposentando com fundos imobiliários (Sandro Santos) Para muitas pessoas, investir em imóveis significa a possibilidade de uma aposentadoria mais tranquila e até mesmo antecipada. Neste livro, o especialista em negociações Sandro Santos nos introduz a um passo a passo essencial para quem procura investir em imóveis pensando no futuro. Entre os assuntos abordados, podemos citar a conquista de renda mensal com aplicações, além do aprendizado com a finalidade de tomar decisões pautadas em análises financeiras mais elaboradas. Outros temas recorrentes no livro são as vantagens de investir em fundos, bem como alta liquidez e juros que superam a taxa básica. 4) Millionaire Real Estate Investor (Gary Keller) O empresário, investidor imobiliário e autor best-seller americano Gary Keller nos apresenta, neste livro, dezenas de entrevistas com investidores imobiliários bem sucedidos. Este livro aborda o mindset necessário para se tornar um investidor bem sucedido. Para quem deseja aprender com outros investidores, ou até mesmo precisa daquela dose de inspiração para investir, esse livro é a escolha certa! 5) Guia Suno de Fundos Imobiliários (Marcos Baroni e Danilo Bastos) Este é um dos livros sobre investimentos imobiliários mais buscados nacionalmente. As análises contidas contemplam diferentes perfis de investidores, além de conceitos como diversificação de ativos, oscilação de preços, entre outros. Imperdível!  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades!

Studio: conheça mais sobre esse tipo de imóvel

Um apartamento compacto e com poucas divisórias, mas com espaço suficiente para morar de maneira confortável. É dessa premissa que surgiu o apartamento conhecido como studio. Esse tipo de imóvel costuma possuir ambientes bem integrados, como sala e cozinha. As divisórias costumam ser para os quartos e o banheiro.  Além dessas características, os apartamentos studio possuem outros diferenciais que os têm tornado cada vez mais popular em nosso país. Se você deseja conhecer mais sobre esse tipo de imóvel, além de descobrir se ele combina com você, confira!  Apartamento studio: principais características  Conforme apontamos anteriormente, a característica mais forte do studio está na integração. Esse tipo de imóvel possui poucas divisórias (geralmente para banheiro e quarto) e o restante do espaço é utilizado de acordo com a necessidade ou estilo de vida do morador.  Outro fator que categoriza um apartamento como studio é o tamanho. De modo geral, o espaço varia entre 30 e 40 metros quadrados, e alguns podem até mesmo contar com uma varanda de tamanho reduzido.  Estes apartamentos se destacam pela praticidade e funcionalidade. Por isso, esse tipo de imóvel costuma ser indicado para solteiros, recém-casados ou pessoas que passam pouco tempo em casa.  Por combinar com quem tem um dia-a-dia mais fora de casa, esses apartamentos geralmente são construídos em regiões centrais e de grande fluxo comercial e/ou corporativo da cidade, ficando próximo de lojas e empresas.  Uma vez que o espaço é mais compacto, esses apartamentos geralmente contam com condomínios que oferecem diversos serviços. Alguns exemplos são academias, lavanderias, salas de reunião e espaços gourmet.  Vantagens de um apartamento studio  Morar em um imóvel de tamanho reduzido pode, na verdade, oferecer algumas vantagens interessantes para quem aprecia esse conceito relativamente novo de moradia. Alguns exemplos são: Praticidade Como dito anteriormente, os studios costumam estar próximos de empresas e lojas, o que é uma ótima vantagem para quem estuda ou trabalha nestes locais. Também costuma ser mais barato se locomover para shoppings, faculdades, supermercados, entre outros. Além disso, o tamanho reduzido também costuma ser uma vantagem do ponto de vista de limpeza e manutenção.  Preço acessível  Um fator decisivo na hora de decidir o valor de venda ou aluguel é o estabelecimento do metro quadrado na região. Como o apartamento studio possui um tamanho mais compacto, é possível comprar ou alugar por valores consideravelmente mais reduzidos, se comparados aos apartamentos convencionais.  Modernidade  Esse tipo de apartamento está em alta, e há diversas opções de decoração para dar um ar ainda mais moderno e personalizado para o imóvel. Além disso, esse tipo de imóvel está cada vez mais em alta, tornando-o um investimento que pode vir a ser rentável futuramente.  E aí, o que achou desse tipo de apartamento? Conta pra gente utilizando os comentários. O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Riscos de comprar um imóvel direto do proprietário

Algumas pessoas acreditam não precisar do auxílio de uma imobiliária especializada para adquirir um imóvel, preferindo muitas vezes que a transação de compra seja realizada diretamente com o proprietário.  Entretanto, por mais flexibilidade e facilidade que essa prática pareça oferecer, é provável que comprar direto do dono seja uma atitude que tenha mais riscos do que benefícios.  Pensando nisso, preparamos um post para mostrar quais os principais riscos envolvidos em comprar diretamente do proprietário. Confira!  Dificuldades com burocracia e documentação  A compra de um imóvel passa por diversas etapas, e o processo burocrático é algo que exige extremo conhecimento e atenção. A não-entrega de um documento, por exemplo, pode atrasar ou até mesmo inviabilizar totalmente o negócio. Em alguns casos, a desatenção pode levar até mesmo à perda do bem futuramente.  Por isso, comprar diretamente do dono não se mostra vantajoso, uma vez que, provavelmente, o proprietário não é familiarizado com todos os trâmites e documentos envolvidos para que o negócio seja devidamente oficializado. Todo cuidado é pouco!  Avaliação acima da realidade do mercado  Quando realizada por um corretor preparado e experiente, a avaliação imobiliária leva em consideração aspectos positivos e negativos do bem. A partir disso, é possível definir um preço que seja adequado para aquele imóvel naquele momento.  Esse processo não acontece quando o preço do imóvel é definido pelo próprio dono. Não é incomum que um proprietário desconsidere a necessidade de reformas no imóvel, atribuindo a este um preço acima da realidade ou em desacordo com o mercado atual.  Reformas e manutenção  O estado de conservação de um imóvel não é baseado somente em aspectos visíveis. Alguns detalhes como o funcionamento da parte elétrica e hidráulica podem estar apresentando problemas, mesmo que de maneira silenciosa e não evidente.  Isso tudo pode ser evitado com a vistoria de um profissional do mercado imobiliário, que costuma investigar exatamente esse tipo de problema. Se a compra for realizada diretamente com o proprietário, pode ser que a necessidade de reparos nem seja percebida.  Dívidas antigas  Alguns proprietários, seja por esquecimento ou mesmo por má fé (e, acredite, o último item não costuma ser incomum), podem deixar algumas taxas e impostos caírem no esquecimento. E, se a compra do imóvel é feita direto do dono, essas tarifas extras podem ter que ser pagas pelo novo proprietário.  Esse tipo de situação é evitada quando há a intervenção de uma assessoria imobiliária durante todo o processo. Caso existam valores pendentes, o valor será descontado do preço do imóvel ou cobrado do vendedor.  O imóvel não é o ideal  Além de conferir todos os aspectos listados acima, é necessário garantir que a compra não será feita por impulso. Isso nem sempre é possível quando se compra direto do dono, uma vez que a aparente facilidade pode te fazer fechar um negócio que nem sempre será verdadeiramente vantajoso.  Ao comprar um imóvel, é necessário avaliar muito mais que o preço ou o aspecto físico. É necessário saber se o bairro, a disponibilidade de facilidades, lojas e serviços, transporte e mobilidade urbana combinam com o seu estilo de vida.  Todos essas variáveis são levadas em consideração em conversas com um corretor experiente, que irá buscar opções de imóveis que estejam adequadamente alinhadas com as suas necessidades.  Compra segura é na Axis 21!  Para evitar todos estes riscos e, além disso, garantir que seu dinheiro seja investido no imóvel certo, conte com a Axis 21. Nossa equipe é preparada para encontrar a melhor opção de casa ou apartamento para você. Acesse nosso site e entre em contato!  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Investir em imóveis: confira as principais vantagens!

Atualmente, existem diversos tipos de investimento disponíveis. Alguns exemplos são as ações ou opções de investimento em renda fixa. Em meio a tantas possibilidades, algumas pessoas podem ficar com a seguinte dúvida: investir em imóveis é vantajoso?  Na verdade, investir em imóveis é considerada uma das formas mais seguras de investimento. Por isso, preparamos esse post com algumas das principais vantagens quando o assunto é investir no ramo imobiliário. Confira!  Investimento seguro  Uma vantagem importante de investir em imóveis é a segurança. Quem aplica o dinheiro em bens imóveis está imune a eventos como falência de bancos, instabilidades na bolsa de valores e congelamento de poupanças. E, por falar em poupança, o valor do recebimento de aluguel costuma ter maior rentabilidade do que apenas deixar seu dinheiro rendendo juros no banco. Estima-se que o valor do aluguel varie entre 0,5% a 1% do valor da propriedade. Isso representa um rendimento relativamente maior que na poupança, em que o valor pode ser de apenas 0,3%.  Renda passiva do aluguel Para pessoas que buscam renda extra, investir em imóveis é uma boa ideia. Isto porque os imóveis geram uma renda passiva mensal referente ao recebimento de aluguel. Isso vale para imóveis comerciais e residenciais.  Comprar para alugar é vantajoso pois a demanda por aluguel de imóveis sempre existe. Além disso, essa busca não costuma diminuir tanto em tempos de crise. Na verdade, pessoas de determinadas faixas etárias e estilos de vida têm preferido alugar imóveis em vez de comprá-los.  São pessoas que, por exemplo, desejam ou precisam se mudar constantemente. Por isso, adquirir imóveis para alugar definitivamente vale a pena!  Confira também nosso artigo sobre investir em imóveis em 2020! Pensando no futuro  Pense em imóveis como garantias de futuro para sua família. Numa eventual crise, pode ser que o orçamento fique mais apertado. Ainda assim, você sempre terá o imóvel como uma fonte de moradia ou renda, caso deseje alugar ou mesmo revender.  Além disso, Investir em imóveis certamente é uma maneira de construir um legado. Na verdade, esse tipo de investimento pode assegurar a renda de familiares de outras gerações, como filhos e netos.  Valorização com o tempo  Imóveis tendem a valorizar com o tempo. Essa valorização está atrelada a fatores como desenvolvimento no bairro em que o imóvel está localizado, além do aumento do fluxo comercial e construção de estabelecimentos como universidades, shopping centers, hospitais, bancos e supermercados.  Além disso, as eventuais reformas e manutenções que você realizar em seu imóvel certamente irão adicionar mais valor a este, e o preço será maior em eventuais avaliações.  Invista em imóveis com a Axis 21!  Bem, com a lista de vantagens acima fica fácil compreender e identificar as principais vantagens de investir imóveis, não é mesmo?  Então, que tal conferir as incríveis opções de imóveis para investir na Axis 21?  Na Axis 21, você poderá encontrar diversas opções de casas, apartamentos e terrenos alto padrão. Todos localizados nos melhores bairros de Curitiba. Por isso, aproveite: acesse nosso site e entre em contato com nossa equipe para conhecer as melhores oportunidades de investimento.  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!