Studio: conheça mais sobre esse tipo de imóvel

Um apartamento compacto e com poucas divisórias, mas com espaço suficiente para morar de maneira confortável. É dessa premissa que surgiu o apartamento conhecido como studio. Esse tipo de imóvel costuma possuir ambientes bem integrados, como sala e cozinha. As divisórias costumam ser para os quartos e o banheiro.  Além dessas características, os apartamentos studio possuem outros diferenciais que os têm tornado cada vez mais popular em nosso país. Se você deseja conhecer mais sobre esse tipo de imóvel, além de descobrir se ele combina com você, confira!  Apartamento studio: principais características  Conforme apontamos anteriormente, a característica mais forte do studio está na integração. Esse tipo de imóvel possui poucas divisórias (geralmente para banheiro e quarto) e o restante do espaço é utilizado de acordo com a necessidade ou estilo de vida do morador.  Outro fator que categoriza um apartamento como studio é o tamanho. De modo geral, o espaço varia entre 30 e 40 metros quadrados, e alguns podem até mesmo contar com uma varanda de tamanho reduzido.  Estes apartamentos se destacam pela praticidade e funcionalidade. Por isso, esse tipo de imóvel costuma ser indicado para solteiros, recém-casados ou pessoas que passam pouco tempo em casa.  Por combinar com quem tem um dia-a-dia mais fora de casa, esses apartamentos geralmente são construídos em regiões centrais e de grande fluxo comercial e/ou corporativo da cidade, ficando próximo de lojas e empresas.  Uma vez que o espaço é mais compacto, esses apartamentos geralmente contam com condomínios que oferecem diversos serviços. Alguns exemplos são academias, lavanderias, salas de reunião e espaços gourmet.  Vantagens de um apartamento studio  Morar em um imóvel de tamanho reduzido pode, na verdade, oferecer algumas vantagens interessantes para quem aprecia esse conceito relativamente novo de moradia. Alguns exemplos são: Praticidade Como dito anteriormente, os studios costumam estar próximos de empresas e lojas, o que é uma ótima vantagem para quem estuda ou trabalha nestes locais. Também costuma ser mais barato se locomover para shoppings, faculdades, supermercados, entre outros. Além disso, o tamanho reduzido também costuma ser uma vantagem do ponto de vista de limpeza e manutenção.  Preço acessível  Um fator decisivo na hora de decidir o valor de venda ou aluguel é o estabelecimento do metro quadrado na região. Como o apartamento studio possui um tamanho mais compacto, é possível comprar ou alugar por valores consideravelmente mais reduzidos, se comparados aos apartamentos convencionais.  Modernidade  Esse tipo de apartamento está em alta, e há diversas opções de decoração para dar um ar ainda mais moderno e personalizado para o imóvel. Além disso, esse tipo de imóvel está cada vez mais em alta, tornando-o um investimento que pode vir a ser rentável futuramente.  E aí, o que achou desse tipo de apartamento? Conta pra gente utilizando os comentários. O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Riscos de comprar um imóvel direto do proprietário

Algumas pessoas acreditam não precisar do auxílio de uma imobiliária especializada para adquirir um imóvel, preferindo muitas vezes que a transação de compra seja realizada diretamente com o proprietário.  Entretanto, por mais flexibilidade e facilidade que essa prática pareça oferecer, é provável que comprar direto do dono seja uma atitude que tenha mais riscos do que benefícios.  Pensando nisso, preparamos um post para mostrar quais os principais riscos envolvidos em comprar diretamente do proprietário. Confira!  Dificuldades com burocracia e documentação  A compra de um imóvel passa por diversas etapas, e o processo burocrático é algo que exige extremo conhecimento e atenção. A não-entrega de um documento, por exemplo, pode atrasar ou até mesmo inviabilizar totalmente o negócio. Em alguns casos, a desatenção pode levar até mesmo à perda do bem futuramente.  Por isso, comprar diretamente do dono não se mostra vantajoso, uma vez que, provavelmente, o proprietário não é familiarizado com todos os trâmites e documentos envolvidos para que o negócio seja devidamente oficializado. Todo cuidado é pouco!  Avaliação acima da realidade do mercado  Quando realizada por um corretor preparado e experiente, a avaliação imobiliária leva em consideração aspectos positivos e negativos do bem. A partir disso, é possível definir um preço que seja adequado para aquele imóvel naquele momento.  Esse processo não acontece quando o preço do imóvel é definido pelo próprio dono. Não é incomum que um proprietário desconsidere a necessidade de reformas no imóvel, atribuindo a este um preço acima da realidade ou em desacordo com o mercado atual.  Reformas e manutenção  O estado de conservação de um imóvel não é baseado somente em aspectos visíveis. Alguns detalhes como o funcionamento da parte elétrica e hidráulica podem estar apresentando problemas, mesmo que de maneira silenciosa e não evidente.  Isso tudo pode ser evitado com a vistoria de um profissional do mercado imobiliário, que costuma investigar exatamente esse tipo de problema. Se a compra for realizada diretamente com o proprietário, pode ser que a necessidade de reparos nem seja percebida.  Dívidas antigas  Alguns proprietários, seja por esquecimento ou mesmo por má fé (e, acredite, o último item não costuma ser incomum), podem deixar algumas taxas e impostos caírem no esquecimento. E, se a compra do imóvel é feita direto do dono, essas tarifas extras podem ter que ser pagas pelo novo proprietário.  Esse tipo de situação é evitada quando há a intervenção de uma assessoria imobiliária durante todo o processo. Caso existam valores pendentes, o valor será descontado do preço do imóvel ou cobrado do vendedor.  O imóvel não é o ideal  Além de conferir todos os aspectos listados acima, é necessário garantir que a compra não será feita por impulso. Isso nem sempre é possível quando se compra direto do dono, uma vez que a aparente facilidade pode te fazer fechar um negócio que nem sempre será verdadeiramente vantajoso.  Ao comprar um imóvel, é necessário avaliar muito mais que o preço ou o aspecto físico. É necessário saber se o bairro, a disponibilidade de facilidades, lojas e serviços, transporte e mobilidade urbana combinam com o seu estilo de vida.  Todos essas variáveis são levadas em consideração em conversas com um corretor experiente, que irá buscar opções de imóveis que estejam adequadamente alinhadas com as suas necessidades.  Compra segura é na Axis 21!  Para evitar todos estes riscos e, além disso, garantir que seu dinheiro seja investido no imóvel certo, conte com a Axis 21. Nossa equipe é preparada para encontrar a melhor opção de casa ou apartamento para você. Acesse nosso site e entre em contato!  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Investir em imóveis: confira as principais vantagens!

Atualmente, existem diversos tipos de investimento disponíveis. Alguns exemplos são as ações ou opções de investimento em renda fixa. Em meio a tantas possibilidades, algumas pessoas podem ficar com a seguinte dúvida: investir em imóveis é vantajoso?  Na verdade, investir em imóveis é considerada uma das formas mais seguras de investimento. Por isso, preparamos esse post com algumas das principais vantagens quando o assunto é investir no ramo imobiliário. Confira!  Investimento seguro  Uma vantagem importante de investir em imóveis é a segurança. Quem aplica o dinheiro em bens imóveis está imune a eventos como falência de bancos, instabilidades na bolsa de valores e congelamento de poupanças. E, por falar em poupança, o valor do recebimento de aluguel costuma ter maior rentabilidade do que apenas deixar seu dinheiro rendendo juros no banco. Estima-se que o valor do aluguel varie entre 0,5% a 1% do valor da propriedade. Isso representa um rendimento relativamente maior que na poupança, em que o valor pode ser de apenas 0,3%.  Renda passiva do aluguel Para pessoas que buscam renda extra, investir em imóveis é uma boa ideia. Isto porque os imóveis geram uma renda passiva mensal referente ao recebimento de aluguel. Isso vale para imóveis comerciais e residenciais.  Comprar para alugar é vantajoso pois a demanda por aluguel de imóveis sempre existe. Além disso, essa busca não costuma diminuir tanto em tempos de crise. Na verdade, pessoas de determinadas faixas etárias e estilos de vida têm preferido alugar imóveis em vez de comprá-los.  São pessoas que, por exemplo, desejam ou precisam se mudar constantemente. Por isso, adquirir imóveis para alugar definitivamente vale a pena!  Confira também nosso artigo sobre investir em imóveis em 2020! Pensando no futuro  Pense em imóveis como garantias de futuro para sua família. Numa eventual crise, pode ser que o orçamento fique mais apertado. Ainda assim, você sempre terá o imóvel como uma fonte de moradia ou renda, caso deseje alugar ou mesmo revender.  Além disso, Investir em imóveis certamente é uma maneira de construir um legado. Na verdade, esse tipo de investimento pode assegurar a renda de familiares de outras gerações, como filhos e netos.  Valorização com o tempo  Imóveis tendem a valorizar com o tempo. Essa valorização está atrelada a fatores como desenvolvimento no bairro em que o imóvel está localizado, além do aumento do fluxo comercial e construção de estabelecimentos como universidades, shopping centers, hospitais, bancos e supermercados.  Além disso, as eventuais reformas e manutenções que você realizar em seu imóvel certamente irão adicionar mais valor a este, e o preço será maior em eventuais avaliações.  Invista em imóveis com a Axis 21!  Bem, com a lista de vantagens acima fica fácil compreender e identificar as principais vantagens de investir imóveis, não é mesmo?  Então, que tal conferir as incríveis opções de imóveis para investir na Axis 21?  Na Axis 21, você poderá encontrar diversas opções de casas, apartamentos e terrenos alto padrão. Todos localizados nos melhores bairros de Curitiba. Por isso, aproveite: acesse nosso site e entre em contato com nossa equipe para conhecer as melhores oportunidades de investimento.  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

Averbação: descubra o que é e quando averbar

O processo de compra ou venda imobiliária exige muita atenção do ponto de vista legislativo. É importante que os envolvidos nessas transações compreendam o significado de certos termos, garantindo que nenhum detalhe seja deixado para trás.  Pensando nisso, no post de hoje iremos falar sobre a averbação de imóveis. Esse termo, ainda desconhecido para algumas pessoas, é de extrema importância para o mercado imobiliário. Confira!  Afinal, o que é averbação de imóveis? A averbação pode ser definida de maneira simples, apesar do nome soar complexo. Esse termo é utilizado para definir a ação de modificação no teor de um registro, como por exemplo o de um imóvel.  Dessa forma, pode-se dizer que averbar é uma atitude tomada a fim de formalizar todas as eventuais alterações realizadas no registro do imóvel. Ou seja, é uma espécie de histórico detalhando todas as mudanças ocorridas no imóvel ou nas condições de seus proprietários.  Alguns exemplos do uso prático da averbação é a de formalizar a construção ou demolição de cômodos, reformas e alterações em salas e/ou lotes, etc. Todas essas alterações exigem averbação. Além dessas, alterações de caráter civil (como óbito, casamento, divórcio) do (s) dono (s) também precisam ser documentadas.  Saiba mais: descubra a diferença entre escritura, contrato e registro do imóvel Qual a utilidade de averbar? A aplicação prática é principalmente uma: segurança. Com todas as informações do imóvel sendo públicas, garante-se credibilidade e validade jurídica. A averbação garante a transparência e a proteção de direitos, e o acesso a essas informações possui impactos até mesmo na valorização do imóvel. Como e quando fazer a averbação do imóvel? Para que a averbação possa ser realizada, é necessário ir ao cartório de registro de imóveis deste bem. Além disso, você precisará apresentar a documentação solicitada. Os documentos requeridos variam de acordo com a averbação a ser feita. O alvará será solicitado em caso de uma demolição, por exemplo. Ou ainda a certidão, caso a alteração seja referente a um casamento.  Importante: assim que você perceber a necessidade de averbação, dirija-se ao cartório de registro de imóveis. Existem mais de 30 casos de necessidade de averbação na Lei de Registros Públicos, Abaixo, separamos alguns deles. Confira!  Mudança na numeração do imóvel ou prédio Alterações no sobrenome por casamento e/ou desquite Restabelecimento da sociedade conjugalFim da concessão do direito real de uso Construções, reformas, demolições, etc.  Caso a documentação esteja toda em dia, o prazo médio para a averbação ser concluída é de 30 dias a partir da solicitação de abertura do protocolo. É importante reforçar que, além de importante, averbar é uma atitude obrigatória. Caso contrário, não é possível realizar a compra e venda de um imóvel.  E aí, o que achou do conteúdo? Tem mais alguma dúvida em relação a este assunto? Conta pra gente nos comentários! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente. Até a próxima!

Especialistas afirmam: em meio à crise, investir em imóveis é bom negócio

Diversas projeções realizadas por especialistas vêm indicando 2020 como um ano de crescimento para o setor imobiliário. As pesquisas mostram um otimismo após anos de um cenário político e econômico instável no país. O setor já havia marcado uma retomada ao apresentar um aumento de 0,3% em 2019, sendo a primeira alta em cinco anos.  Outros acontecimentos, como a redução histórica da Selic e a queda nos juros de financiamento (iniciada pela Caixa e seguida por bancos de iniciativa privada) também são bons indicativos de que o setor imobiliário tem potencial para ser um destaque para a economia deste ano. Em meio a esse cenário, em que o aumento no número de construções e lançamentos é notável, surge o novo coronavírus. Com as medidas de isolamento social adotadas recentemente, construtoras e incorporadoras agora debatem como serão os próximos meses - e anos - para a construção civil e ramo imobiliário.  Ainda que vários setores da economia estejam enfrentando um momento delicado, especialistas apontam que investir em imóveis pode ser uma atitude extremamente inteligente neste momento de crise. Confira alguns motivos:  Ativos imobiliários oferecem segurança Com a pandemia causada pelo novo Coronavírus, o momento é de instabilidade e incerteza. O mercado financeiro tem enfrentado grandes oscilações nas taxas e inflação, além das quedas em ações nas Bolsas de valores.  Isso faz com que investimentos em renda fixa, por exemplo, pareçam menos atrativos.  Investir em imóveis, no entanto, historicamente sempre foi uma solução para aplicar seu dinheiro de maneira segura e obter retorno maior, à curto prazo, se compararmos com outras alternativas de investimento.  O ramo imobiliário pode ser especialmente interessante se considerarmos fatores como o potencial de valorização do local e do imóvel com o passar do tempo, por exemplo. As taxas estão favoráveis  A taxa básica de juros (Selic) vem registrando quedas desde, pelo menos, julho de 2019. Na próxima semana, é prevista uma nova queda de 0,5% ponto, o que colocaria a taxa de juros em 3,25%.  Essas quedas possuem grande influência nas taxas e condições de financiamento de imóveis (confira aqui nosso artigo completo a respeito da Selic).  De maneira resumida, a nova queda na Selic pode tornar a compra de imóveis ainda mais facilitada. Para quem pretende investir, o momento é certamente favorável!  Busca por imóveis se mantém  Além dos fatores acima, uma boa razão para considerar investir em imóveis é que, apesar da crise, ainda há muita procura.  Segundo pesquisa realizada pelo jornal Gazeta do Povo, cerca de 55% das pessoas que pretendiam comprar um imóvel ainda mantém esse plano. 33% destes pretendem adquirir um imóvel nos próximos doze meses, e 17% nos próximos dois anos.  Caso você deseje comprar para vender, essa é definitivamente uma informação a ser levada em conta. O que achou do conteúdo? Escreva pra gente usando os comentários! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

Casa com piscina vale a pena? Descubra as vantagens!

Há dias em que o calor parece não acabar mais. O verão parece mais quente a cada ano. Nessa situação, quem nunca largou tudo e foi para a praia, parque aquático ou outro lugar para se refrescar um pouco?  Quando isso acontece, com certeza você pensa que uma casa com piscina seria a solução dos seus problemas, não é mesmo?  Ao adquirir um novo imóvel, muitas pessoas buscam um espaço de lazer privativo, com um quintal gigante e uma piscina para poder convidar toda a família. Não é à toa que casas com piscina atraem muito interesse e costumam ser mais valorizadas.  Por isso, trouxemos as principais vantagens que mais chamam a atenção de quem deseja ter uma casa com piscina. Quem sabe esse é o tipo de imóvel que mais combina com você? Confira! Mais reuniões com família e amigos  Não há nada melhor que poder reunir os amigos e a família para momentos de lazer. Uma casa com piscina faz com que seja possível curtir melhor as férias ou feriados com família e amigos, curtindo um dia de sol e se refrescando.  Uma piscina rende também excelentes brincadeiras com a criançada, além de poder ser utilizada para ensinar os filhos a nadar de maneira segura e supervisionada. Bom demais, né?  Valoriza o imóvel Para quem deseja comprar um imóvel com o intuito de fazer dele um investimento à longo prazo, a opção com piscina vale muito a pena.  Especialistas do ramo imobiliário afirmam: uma piscina em casa aumenta o valor do imóvel. Em média, essa valorização costuma variar entre 20% e 30% a mais que o valor original do imóvel.  Além disso, a presença de uma piscina particular pode ser um fator decisivo na hora de fechar negócio, já que é também parte da decoração da casa. Se a piscina estiver aliada a um projeto de paisagismo, a tendência é que o imóvel seja valorizado ainda mais! Adeus ao sedentarismo  Na rotina, nem sempre é simples encontrar tempo para frequentar uma academia. Nesse caso, ter uma piscina em casa é ótimo para quem quer dar adeus ao sedentarismo. A natação é uma prática esportiva considerada “completa”, pois fortalece a musculatura e aumenta o condicionamento físico.  Além disso, a água permite que o exercício seja realizado com um impacto baixíssimo, o que é especialmente interessante para pessoas de idade mais avançada. Bora deixar a preguiça de lado e colocar a saúde em dia! Decoração do jardim  É inegável: uma piscina em casa traz um requinte desejado por muitas pessoas. Geralmente, elas estão presentes em projetos de arquitetos conceituados, sendo também parte importante na decoração do jardim. Isso é especialmente verdade se, junto com a piscina, ocorre um investimento em itens de decoração como estátuas, plantas e um piso sofisticado. Privacidade e segurança  Para quem não deseja utilizar a piscina de um clube ou a do condomínio, a piscina em casa oferece maior privacidade. Além disso, saber a procedência e cuidar pessoalmente do tratamento da água oferece mais segurança para quem deseja usufruir de uma piscina. Casa com piscina: seleção de imóveis  1) Por essa casa não tem como não se apaixonar. Um imóvel alto padrão com ambientes requintados e modernos, além de acabamentos primorosos. E a piscina, então? Um show à parte. O condomínio exclusivo traz toda a segurança para você curtir momentos de lazer com toda a tranquilidade e privacidade. Bom demais!  2) Qualquer elogio para essa segunda casa parece não ser suficiente. Uma arquitetura simplesmente espetacular, paredes em concreto e uma fachada imponente. Além disso, uma piscina e área externa de dar inveja, tudo isso rodeado por muita área verde. Um sonho!  3) A última casa fecha essa seleção com chave de ouro! Ambientes amplos, acabamentos impecáveis, espaço gourmet e integração à área externa. O espaço com a piscina é super agradável e a região (próximo ao Bosque do Alemão) tornam esse imóvel a escolha perfeita!  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

Consórcio imobiliário: conheça e tire suas dúvidas

Comprar uma casa requer muita pesquisa e preparo. E ainda que muitas pessoas tenham o desejo de comprar uma casa à vista, nem sempre isso é viável ou possível.  Por esse motivo, o futuro comprador deve estar aberto a conhecer todas as alternativas disponíveis para tornar seu sonho realidade.  Hoje vamos falar sobre o consórcio imobiliário, modalidade de compra na qual um grupo de pessoas interessadas se reúne para realizar o financiamento imobiliário, pagando parcelas para uma empresa administradora todos os meses.  Quer saber mais sobre o consórcio imobiliário e descobrir se ele é uma solução para conseguir adquirir um imóvel? Então continue a leitura e confira! O que é um consórcio de imóveis? Todo consórcio parte da mesma lógica: um grupo de pessoas com um mesmo objetivo de compra (nesse caso, uma casa ou apartamento) se reúne para arrecadar um montante durante determinado período de tempo.  A partir disso, mensalmente um integrante do consórcio é contemplado com uma carta de crédito. Com o valor agora em mãos, o comprador pode adquirir seu novo imóvel. Como funciona o consórcio imobiliário? Como citamos anteriormente, o consórcio é uma contribuição mensal realizada por todos os seus integrantes. O valor, no entanto, é variável. Essa quantia é definida a partir do valor desejado para a carta de crédito.  Até o fim do consórcio, todos os meses um participante é sorteado e recebe o valor para poder comprar seu imóvel. Ainda que os sorteios aconteçam em igualdade de condições para todos, é possível ofertar lances visando acelerar a contemplação.  Os lances podem ser dados fazendo uso do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), por exemplo. Vantagens do consórcio imobiliário Sem necessidade de entrada O valor escolhido pelo participante será dividido integralmente, não sendo necessário pagar uma quantia antecipada.  É uma ótima opção para quem não possui fundos para dar uma entrada ou que preferem usar o valor para outros fins, como reformas e gastos com documentação. Livre de taxa de juros  No consórcio, não há juros. Isso é especialmente interessante para aqueles que querem evitar taxas de juros que podem ser aplicadas em outras modalidades de compra.  De modo geral, é cobrada apenas uma taxa administrativa, que é distribuída no valor de cada parcela. Tudo isso torna o custo final e as parcelas bem menores, o que tende a ser vantajoso para muitas pessoas.  Variedade de planos  Uma das maiores vantagens apontadas por empresas e consorciados é a grande quantidade de planos disponíveis. Isso permite que o participante opte pelo consórcio que mais se encaixa com seu perfil e realidade.  Sorteios ou lances  Aqueles que optam por um consórcio tem a opção de contar com a sorte, ou podem acelerar o processo para serem contemplados mais rapidamente.  No primeiro caso, estamos falando daqueles que optam por pagar apenas o valor mensal, que participam do sorteio normalmente.  Entretanto, a segunda opção diz respeito às pessoas que optam por oferecer um lance. Se o lance for o maior oferecido naquele mês, o consorciado será contemplado com a carta de crédito.  Como dissemos anteriormente, pode-se oferecer um lance utilizando o FGTS. Outra opção é oferecer um lance utilizando uma porcentagem da própria carta de crédito. Isso é conhecido como lance embutido.  Um consórcio de imóveis é vantajoso para mim?  Essa pergunta não é tão simples de ser respondida. No entanto, a primeira coisa é ponderar se você possui condições financeiras para entrar em um investimento de longo prazo.  Essa modalidade de compra mostra-se vantajosa pela série de fatores que destacamos ao longo do texto.  Porém, é necessário ter em mente que a contemplação nem sempre acontecerá de maneira ágil, especialmente porque ela pode acontecer por sorteio ou por lance.  Existem opções de consórcio com duração de dez, quinze anos. Então, essa modalidade de compra é ideal principalmente para quem é paciente e não tem pressa em comprar um imóvel.  Outro detalhe: é preciso garantir que sua agência de consórcios seja escolhida com cautela. É preciso garantir a idoneidade e transparência da empresa. Por isso, fuja de anúncios que ofereçam vantagens excessivas e condições mirabolantes.  Com essas dicas, esperamos que você tenha entendido e tirado algumas de suas dúvidas a respeito do consórcio imobiliário. Se tiver mais alguma dúvida, não deixe de escrever para a gente nos comentários.  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

Comprar imóvel em 2020: projeções do mercado imobiliário

Comprar um imóvel requer muito preparo e pesquisa prévia. Afinal de contas, estamos falando de um investimento de grande porte. Dessa forma, é imprescindível garantir que seu dinheiro esteja sendo aplicado numa oferta justa e compatível com a realidade do mercado imobiliário atual.  Quer saber se 2020 é um bom ano para investir em um novo imóvel? Interessado em descobrir quais são as principais projeções e taxas para o mercado imobiliário esse ano? Confira!  Procura de imóveis aumenta Se investir em um novo imóvel é um dos seus planos para 2020, saiba que você não é o único. Na verdade, segundo pesquisa feita pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), há um crescimento considerável na procura por imóveis a partir do último semestre de 2019.  A busca saltou de 26% para 38%, boa parte dessa parcela esperando que o preço dos imóveis permaneça estável.  O crescimento da demanda também se deve a uma melhora no nível de renda e confiança por parte dos consumidores. Assim, levando-se em consideração o cenário acima, 2020 tende a ser um um bom ano para investir numa nova casa ou apartamento. Subida abaixo da inflação  O valor médio de venda dos imóveis residenciais apresentou elevação de 0,16% no primeiro mês de 2020, de acordo com o índice Fipezap. Entretanto, o aumento ficou abaixo da inflação esperada para o mês de janeiro, que foi de 0,34%. Isso significa dizer que houve queda real de 0,18% no valor dos imóveis. A alta, considerada tímida, deve garantir espaço para melhores propostas e negociações. Financiamento  Para aqueles que pretendem financiar, boa notícia: as condições atuais se mostram extremamente vantajosas. No fim do ano, a Caixa anunciou que as taxas de crédito imobiliário partirão de 6,75% ao ano.  A iniciativa privada também teve uma atitude similar. Bancos como Bradesco, Itaú, BB e Santander têm trabalhado com taxas médias em torno de 7,0% a 8,0% ao ano (clique aqui para saber mais sobre a baixa nos juros).  Essa mudança aconteceu após uma retomada de uma confiança econômica, bem como uma recente forte queda nos juros. A Selic caiu de 6,5% para 4,5% ao ano durante o último semestre de 2019 (saiba mais). É esperado que, em fevereiro, um novo corte de mais 0,25 ponto percentual aconteça, para então manter a taxa de 4,25% até o fim de 2020.  Todos esses aspectos apontam que, de modo geral, comprar um imóvel em 2020 tende a ser um bom negócio.  O que você achou do conteúdo? O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Avaliando e precificando um imóvel: entenda o processo

O processo de precificação de um imóvel passa por diversas etapas. Afinal de contas, a imobiliária precisa ter certeza de que o valor seja justo para quem está vendendo e economicamente viável para o futuro comprador. Mas qual o passo a passo para decidir o valor de um imóvel?  De modo geral, para atribuir preço a um imóvel, a Axis 21 se baseia em uma série de fatores bem definidos. Hoje, separamos alguns deles para que você possa conhecer melhor esse trabalho. Confira!  1) Prédio ou condomínio Antes mesmo de avaliar a casa ou apartamento, buscamos fazer um estudo completo da condição dos prédios ou condomínios nos quais estes se encontram. Isso significa conhecer o tamanho e a arquitetura do local, recuo, bem como as áreas comuns e de lazer. Todos esses fatores são levados em consideração para realizar uma precificação correta. 2) Situação da unidade Em seguida, a unidade é estudada. É necessário avaliar as condições da casa ou apartamento. Nessa etapa, levam-se em conta detalhes sobre a planta, eventuais reformas realizadas na unidade, materiais utilizados na construção, entre outros. Manutenção e outros reparos também fazem diferença.  3) Vista É isso mesmo:  a vista é um dos pontos importantes levados em consideração em uma avaliação de precificação. Especialmente no caso de apartamentos, em que uma vista diferenciada pode valorizar muito o imóvel em questão.  4) Vagas de estacionamento Especificações como número, tamanho e acessibilidade de vagas de estacionamento  são muito importantes para avaliar um imóvel. Afinal, vagas maiores e em maior quantidade também são aspectos que tendem a valorizar uma casa ou apartamento.  5) Taxas e impostos A imobiliária realiza a soma do valor do condomínio e do IPTU. Caso o valor seja alto, a liquidez do imóvel costuma ser consideravelmente mais baixa.  6) Posição solar Uma casa que seja bem iluminada pelo sol é um requisito de muitos compradores. No mercado curitibano esse detalhe é especialmente levado em consideração, uma vez que muitos dias costumam ser nublados na capital.  7) Comparativo regional Informações acerca das unidades recentemente vendidas na região, bem como a condição desses imóveis, também são estudados pela imobiliária. Esse comparativo também ajuda a definir a faixa de preço dos imóveis.  8) Localização e facilidades Provavelmente um dos aspectos mais importantes, avaliar a localização faz toda a diferença na hora de precificar um imóvel. O bairro, a região, a proximidade com comércios, escolas, bancos e farmácias são questões que certamente farão o preço das casas variar.  O Blog da Axis é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Compra e financiamento imobiliário: bancos baixam taxa de juros

Na sequência de cortes de juros básicos, os bancos privados dão mais um passo que deverá facilitar a compra e financiamento de imóveis.  Na última sexta-feira (27 de outubro), o Itaú anunciou uma redução na taxa mínima de juros de crédito imobiliário, que foi de 8,30% para 7,45% ao ano mais a taxa referencial. Na sequência, o Bradesco reduziu de 8,10% para 7,30%, se estabelecendo como a menor taxa do mercado.  Diante dessa ofensiva da iniciativa privada, a Caixa Econômica Federal ainda não revelou se irá reduzir os juros, mantendo a taxa mínima de 8,50% desde o fim do primeiro semestre. Entretanto, a CEF continua sendo líder do setor, tanto em volume quanto no valor de concessões.  Se levarmos em consideração as cinco maiores instituições do mercado, a taxa mínima média para linhas de financiamento imobiliário fica em 7,91%.  Queda na Selic  No final de julho, a Copom baixou a taxa Selic para o menor patamar histórico, passando de 6,5% para 5,5% ao ano. A notícia animadora impactou diversos setores da economia, sendo também responsável por um aquecimento do setor imobiliário.  Na prática  A brusca redução das taxas de juros para financiamento imobiliário (que chegaram a beirar 10% e agora estão em torno de 7,5% ao ano), que fomentou a concorrência entre bancos, torna o último trimestre do ano um momento ideal para comprar e financiar seu imóvel. Aproveite o momento para realizar esse importante investimento!  E aí, o que achou?  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com diversas novidades. Até a próxima!