Habite-se: o que é e para que serve o documento?

Adquirir um imóvel envolve um processo de negociação que tende a ser burocrático. As etapas envolvem diversos acordos, licenças, certidões, registros e documentos. Tudo isso serve para garantir que a  transação ocorra de maneira segura e tranquila.   Um dos documentos necessários é o Habite-se, um certificado imprescindível para garantir a segurança de uma propriedade. Pensando nisso, preparamos esse artigo para explicar sobre esse documento fundamental para você, que está prestes a adquirir um imóvel, não esqueça de nenhum detalhe. Para saber mais, confira!  O que é o Habite-se? A partir do início da construção de um imóvel, exige-se que se emita uma licença pela prefeitura que confirme que o terreno, bem como o projeto, estão dentro de todas as normas e regulamentos de segurança exigidos pela legislação.  Após a conclusão da obra, um novo documento deve ser emitido pela prefeitura. Esse documento certifica que o recém-construído imóvel está pronto para ser habitado de maneira segura por quem comprá-lo futuramente.  Este é o documento conhecido como Habite-se. Ao ter o documento emitido, fica comprovado que a construção ou reforma obedeceu às regulações previstas em lei, desde o licenciamento até a conclusão da obra.  É importante mencionar que o Habite-se serve para realizar a solicitação de averbações de construções no Registro de Imóveis, bem como liberar financiamentos imobiliários. O documento também garante que o imóvel tenha oficialmente caráter e valor de propriedade e patrimônio.  Como solicitar e emitir? Para solicitar Habite-se, é necessário apresentar alguns documentos que comprovem que o imóvel foi construído cumprindo obedecendo as normas técnicas estabelecidas na legislação. Alguns exemplos de normas exigidas são:  Segurança nas instalações elétricas; Estruturas e tubulações de gás adequadas;Redes de água e esgoto dentro do exigido.  É necessário, também, apresentar os laudos do arquiteto contratado (emitido pela Secretaria de Urbanismo) e do corpo de bombeiros. Também é realizada uma vistoria em todos os aspectos listados acima.  Além disso, é nessa etapa que se exige a documentação referente aos trâmites de construção do imóvel. Os documentos podem variar de acordo com cada município, mas geralmente os seguintes documentos são solicitados:  Atestados das companhias de energia, água, esgoto e corpo de bombeiros; Comprovante de quitação do Imposto Sobre Serviço (ISS); Anotação de Responsabilidade Técnica (ART);RG e CPF (pessoa física) ou CNPJ e Contrato Social (pessoa jurídica) do solicitante; Capa do IPTU do imóvel; CREA identificando o profissional responsável, bem como sua Inscrição Municipal; Capa do IPTU do imóvel; Projetos de construção aprovados; Alvará de Construção.  É importante solicitar o Habite-se do imóvel por várias questões. Primeiramente, ocupar um imóvel sem essa documentação é irregular e passível de multa para o dono do terreno. Além disso, a averbação da construção e registro da matrícula do imóvel só são emitidos mediante apresentação deste certificado.  Para o caso de imóveis comerciais, sem o Habite-se não é possível emitir alvará de funcionamento do negócio, inviabilizando quaisquer atividades comerciais naquele empreendimento.  Algumas cidades já contam com a possibilidade de solicitação e emissão on-line do Habite-se, tornando o processo mais simples e ágil. Portanto, não deixe de solicitar o seu.  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Escritura, contrato e registro do imóvel: entenda a diferença!

A burocracia do setor imobiliário pode confundir muita gente. Frequentemente, muitas pessoas acreditam que o contrato ou a escritura do imóvel são os únicos documentos necessários para que se estabeleça a transferência de uma propriedade.  Entretanto, esses dois documentos não bastam para que a transação seja completamente efetivada. Na verdade, a legislação brasileira estabelece que: 1) O contrato de compra e venda é uma garantia de que as duas partes irão honrar seus compromissos; 2) A escritura é um documento que oficializa a transferência. Porém, o imóvel somente é considerado completamente do novo dono a partir de uma terceira etapa: a realização do Registro do Imóvel. Por isso, aproveite a leitura para entender as diferenças de cada um desses documentos! Contrato e escritura Como dito anteriormente, o contrato é um documento que possui um caráter de acordo mútuo entre as partes, com obrigatoriedades que devem ser legalmente honradas. A escritura é entendida como o próximo passo após o contrato ser firmado. Elaborada no cartório de notas municipal, o documento valida a compra e a venda do imóvel. Em caso de compras à vista, a escritura deve ser confeccionada em um tabelionato de notas. Registro do Imóvel Posteriormente à assinatura da escritura ou contrato, o documento deve ser encaminhado a um cartório de Registro de Imóveis. No entanto, é necessário ficar atento: a localização do imóvel é o fator que define em qual cartório o registro deve ser realizado. Por isso, pesquise previamente para saber em qual cartório você deverá registrar o seu imóvel ou verifique com a imobiliária. A transferência da propriedade é registrada na matrícula do imóvel, na qual estão contidas informações como dados do proprietário e histórico. Em um próximo post, explicaremos o que é a matrícula do imóvel.  Informações sobre financiamento devem constar no registro. Dessa forma, após a quitação, o novo proprietário poderá transferir o imóvel para terceiros sem problemas. Após o registro da escritura, o imóvel é definitivamente do novo proprietário!  O que você achou do conteúdo? Tem mais alguma dúvida relacionada a transações imobiliárias? Não deixe de interagir usando os comentários! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Principais motivos para se mudar para Curitiba

Ao escolher onde morar, é importante optar por uma cidade que combine com seu estilo de vida. Confira algumas das principais vantagens de morar em Curitiba, e descubra se a capital paranaense combina com você!  Infraestrutura  A capital do Paraná é uma cidade modelo no que diz respeito à acessibilidade e planejamento urbano. Podemos perceber que Curitiba é uma cidade diferenciada em questões como iluminação pública, asfalto e calçadas.  Outro ponto positivo importante da cidade é o sistema integrado de transportes, que possibilita o deslocamento pela cidade pagando apenas uma passagem. Curitiba também possui muitas ciclovias em vias públicas, o que dá aos cidadãos mais uma alternativa de deslocamento.  Lazer  Curitiba é uma cidade extremamente rica e variada, e isso se desdobra também para as opções de lazer, como bares e restaurantes.  Além disso, há diversas opções de parques e praças para quem quer ter um momento de lazer mais próximo à natureza. Opções do que fazer no final de semana não faltam!  Crescimento econômico  Curitiba está entre as maiores economias do país, e isso se dá principalmente pela variedade e qualidade de comércios e serviços desenvolvidos na região. O setor da indústria também possui força na capital, com diversas fábricas metalúrgicas, mecânicas e de comunicação presentes na cidade.  Para quem possui interesse pela vida acadêmica, Curitiba também é referência. A tradicional Universidade Federal do Paraná é a mais antiga universidade do país, por exemplo. A capital conta com várias universidades públicas e privadas oferecendo diversas opções de cursos e carreiras.  Atividades culturais  Para aqueles que apreciam atividades culturais, Curitiba é uma ótima pedida. Há diversos museus, teatros, cinemas e atrações artísticas pela cidade. A capital geralmente recebe também shows de grandes artistas e também é sede de feiras típicas e festivais.  Imóveis  Quem busca um novo lugar para morar já sabe, mas é importante encontrar um imóvel que seja perfeito para as necessidades do futuro morador. E em Curitiba certamente não faltam opções! A capital é extremamente variada no quesito habitação, com diversos tipos de imóveis, que atendem às expectativas dos compradores mais exigentes. Casas, apartamentos, sobrados, gardens e coberturas: tudo isso você encontra vindo morar numa das capitais mais lindas do Brasil. Tá esperando o quê?  O blog da Axis 21 é sempre atualizado com novidades. Até a próxima!

Imóvel na planta, lançamento ou pronto para morar? Confira diferenças e vantagens!

Na hora de escolher um imóvel, muita pesquisa deve ser feita. Afinal de contas, trata-se de um investimento importante, e você quer ter certeza de que fez a melhor escolha. Por isso, muitas pessoas podem ficar em dúvida se é melhor comprar um imóvel já pronto para morar ou investir em uma casa ou apartamento ainda na planta ou recém lançado, por exemplo. Primeiramente, é importante ressaltar que ambos possuem as suas vantagens. Tudo irá depender do tipo de investimento que o comprador está interessado em fazer. Se você está nessa fase de consideração, esse texto é ideal para você! Hoje, no blog da Axis, vamos falar sobre as diferenças entre optar por um imóvel na planta ou lançamento e um já pronto para começar a morar. Vamos lá! Imóvel pronto para morar Um apartamento já pronto para morar acaba sendo a escolha de muita gente. E motivos para isso não faltam. Uma das razões principais para essa escolha é que o futuro proprietário adquire o imóvel com mais agilidade, uma vez que a construção já foi concluída. Além disso, a possibilidade de conhecer o imóvel acaba sendo um atrativo que pesa muito. Com uma construção já terminada, é possível ter uma ideia melhor definida se aquela casa ou apartamento são exatamente do jeito que você queria, sem precisar interpretar uma planta ou um decorado. É possível saber realmente se o tamanho, número de cômodos e arquitetura são de seu agrado. Para os mais detalhistas, é a escolha perfeita! Outro detalhe que pesa muito na escolha de um imóvel pronto é a possibilidade de conhecer o cenário completo. Descobrir, por exemplo, como é a vizinhança. Ou se as regras e facilidades do condomínio são boas o bastante para você assinar o contrato. E também se a região escolhida é a ideal para suas necessidades, seja em questão de conforto ou segurança. Imóvel na planta/lançamento  Em geral, quem opta por adquirir um imóvel (casa ou apartamento) na planta tem menor senso de urgência. Isto é, morar na casa imediatamente não é o objetivo principal. Muitas pessoas que compram imóveis na planta, por exemplo, apostam na valorização do imóvel a longo prazo. Outro argumento utilizado pode estar atrelado a tempo. Talvez, o futuro comprador sinta que precisa de mais tempo para pensar e negociar a futura moradia. Além disso, outro ponto muito importante são as condições de pagamento, pois é possível ter pagamentos parcelados. As possibilidades de negociação, e o planejamento financeiro neste caso são maiores. Para esse público, a Axis 21 tem as últimas opções do mercado. O Maison Legend Ecoville, da A.Yoshii, ainda em construção, pode agradar muito pela funcionalidade, sofisticação e design que apresenta. Também o Denmark Hygge, que traz o conceito Hug House, é o último lançamento da Thá no Cabral. Como tomar a melhor decisão?  Todos esses fatores podem fazer muita diferença e serem decisivos para fechar um negócio. E, independentemente do que seja decidido, nossa dica é sempre procurar uma imobiliária que esteja preparada para atender suas necessidades e encontrar o imóvel perfeito para você, seja ele direto na planta, lançamento ou pronto para morar. Afinal, sua futura casa será parte da sua história! Conte com a Axis 21 para encontrar o imóvel perfeito para construir a sua história. Temos as melhores novidades de Curitiba, sejam de imóveis prontos ou de lançamentos. Procure nossa equipe! E aí, o que achou das nossas dicas? O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima!

Mercado imobiliário em 2022: o que esperar?

Após quedas consecutivas durante quatro anos, 2021 terminou com a Selic em alta. Segundo especialistas, é provável que a taxa básica continue numa crescente, podendo atingir a mediana de 11,50% até o fim de 2022. Para o setor imobiliário, isso pode significar, no caso de compra e venda, aumentos nas taxas de juros e financiamento.  Entretanto, os números vêm mostrando que 2022 pode ser um ano aquecido para quem procura investir em imóveis. Isso se dá porque o setor de imóveis parece remar contra a maré de crise, observável em outros tipos de investimento.  Em 2021, por exemplo, o número de lançamentos aumentou em comparação ao ano anterior. O número de vendas também supera 2020. Assim, especialistas acreditam que quem investe em imóveis tem mais chances de retorno.  No caso de uma crise mais robusta, é interessante ainda salientar que o setor de imóveis costuma ser o mais estável, bem como o de recuperação mais ágil. Além disso, novos hábitos de consumo e busca por novos tipos de moradia também são pontos levantados como vantagens por especialistas.  Se você deseja comprar, vender ou investir em casas e apartamentos de alto padrão, conte com a Axis 21. Até a próxima!  🖥️ https://www.axis21.com.br/ 📞 (41) 3068-2121

Ranking: os 3 FIIs que mais valorizaram em 2021!

Para quem busca investir em Fundos Imobiliários, entender mais sobre as relações de valorização e rentabilidade dos FIIs. Com o fim do ano se aproximando, já é possível comparar e ranquear quem se destacou.  Segundo um levantamento realizado pela Bolsa de Valores brasileira, que busca mensurar a rentabilidade das FIIs nos últimos doze meses, os três Fundos Imobiliários que tiveram a maior valorização em 2021 foram:  General Shopping e Outlets - (+114,2%)PLRI11 - Polo Recebíveis Imobiliários I (+74,8%)HCTR11 - Hectare CE (+55,2%)  Salientamos que os FIIs apresentados servem apenas ao propósito de informar, não necessariamente expressando a opinião da equipe Axis 21. Para mais notícias e conteúdo sobre mercado imobiliário, continue nos acompanhando em nossas redes sociais. Até a próxima! 

Fim de ano: como preparar a casa para os convidados?

Durante as festas e férias de fim de ano, é comum querer receber hóspedes em casa. Essas pessoas, que podem ser amigos ou familiares, merecem que a casa esteja preparada para que possam descansar com toda a tranquilidade. Pensando nisso, preparamos algumas dicas de como preparar seu lar para receber seus convidados com todo o conforto e carinho. Confira!  Recepção especial  Tem coisa melhor do que se sentir bem recepcionado? Pensando nisso, a dica principal para receber bem os convidados é dar as boas vindas de uma maneira que expresse o quanto a visita é especial para você. Você pode preparar um delicioso jantar ou ainda sugerir ao convidado recém chegado que tome um banho relaxante. Detalhes assim, mesmo que pequenos, são ótimos para mostrar o quanto você se importa com seus convidados.  Itens básicos  Por eventualidades com bagagem ou quaisquer outros motivos, nem sempre os convidados conseguem trazer todos os itens necessários para sua estadia. É possível que algum familiar tenha esquecido a nécessaire com alguns itens de higiene pessoal.  Uma ótima ideia é fornecer alguns “kits emergenciais” nos banheiros da casa, contendo sabonete, creme dental e escova de dentes. O kit pode até conter algum mimo ou lembrancinha do anfitrião.  Explore a cidade  Encontrar opções divertidas de programas para fazer é sempre uma ótima pedida para quem recebe convidados. Aproveitar para sair de casa e conhecer pontos turísticos e boas opções de lazer como restaurantes, cafés e pontos turísticos certamente farão sua estadia ser ainda mais marcante para seus convidados. Bom demais!  Aproveite seus espaços, crie momentos Seu lar certamente tem potencial de criar momentos especiais e inesquecíveis. Para isso, é interessante pensar em como utilizar seus ambiente para criar essas ocasiões. Criar uma noite de cinema para a criançada pode ser incrível. Utilizar seu espaço gourmet, churrasqueira e garden para confraternizar com amigos e família também. E, naqueles dias de sol, não dá pra perder tempo: todo mundo pra piscina!  Viu só? Algumas ações simples e muita criatividade são o suficiente para que seus convidados lembrem de você como um anfitrião incrível!  O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente com novidades. Até a próxima! 

Selic fecha o ano em 9,25%: investir em imóveis ainda é vantajoso?

Para quem investe no setor imobiliário, é de vital importância estar atento às altas e quedas de taxas que possam influenciar nos negócios. Como já abordamos em outra postagem, uma dessas taxas é a Selic, principal instrumento utilizado pelo Banco Central para que a meta de inflação seja alcançada.  Quando os aumentos na Selic são realizados pelo Copom, a tendência é que isso se reflita na economia e nos preços de modo geral, uma vez que, via de regra, juros mais altos costumam estimular a poupança e encarecer o crédito. Por sua vez, a queda da taxa básica costuma estimular a produção, consumo e aumento da atividade econômica, justamente por haver, de modo geral, uma diminuição nos preços e outras taxas.  Nesse contexto, uma pergunta que pode passar pela cabeça de compradores e investidores é: com a Selic em alta, comprar e investir ainda vale a pena? Confira a resposta a seguir!  Selic em alta: vantagens de comprar e investir  A taxa básica de juros brasileira fechou o ano de 2021 em 9,25%, conforme anunciado pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Apesar da alta, a porcentagem ainda continua abaixo dos dois dígitos, e os financiamentos ainda continuam atrativos e com boas taxas de juros.  Por isso, para quem pretende comprar, o momento atual ainda é bastante propício. Além disso, a busca por diversos tipos de imóveis tem aumentado bastante numa realidade pós-pandemia, uma vez que a necessidade de mudanças e adaptações em habitação e estilo de vida é observável.  Além disso, o momento ainda é propício e seguro para investir em imóveis, principalmente se comparado a outros tipos de investimentos, que costumam ser mais voláteis e influenciados pela Selic com maior intensidade.  Outro fator que torna o momento bom para comprar e investir é a relação oferta e demanda no mercado imobiliária, que se mantém equilibrada e, segundo especialistas do setor, deve se manter assim pelos próximos anos.  Com esse artigo, você pôde conhecer melhor as relações e impactos da Selic no mercado imobiliário. Também descobriu que o momento ainda é propício para quem deseja comprar, vender e investir. Se você deseja comprar e investir com segurança no mercado imobiliário de alto padrão, conte com a Axis 21. Até a próxima! 

Automação residencial: conheça as casas inteligentes!

Ao adquirir uma casa nova, alguns dos itens mais requisitados certamente são o conforto e a praticidade. Afinal de contas, estamos sempre em busca de algo mais moderno e de padrão elevado.  Por esse motivo, muitos desejam imóveis com características que vão além de boa localização, segurança e facilidades no condomínio.  Nos últimos anos, é notável a elevação na procura por empresas de automação residencial, bem como imóveis que ofereçam diferenciais tecnológicos. Com isso, surgem soluções e empresas que buscam instalar sistemas e softwares para que casas e apartamentos se tornem o que conhecemos atualmente como “casas inteligentes”.  Utilizando recursos de automação residencial, as chamadas casas inteligentes já não são apenas tendência, mas a realidade para muitas pessoas. O motivo é simples: com um dia a dia tão corrido, esse tipo de tecnologia permite que o morador controle uma série de funções de sua casa utilizando o próprio computador ou o smartphone.  Há grande variedade de aplicações e personalização dos sistemas para que ele seja adequado ao estilo de vida do residente.  Interessou? Então continue a leitura e descubra ainda mais sobre as casas inteligentes!  Casas inteligentes e a Internet das Coisas De modo resumido, casas inteligentes são aquelas que são intensamente integradas a sistemas computadorizados e de inteligência. Essa ideia ganhou força e se tornou possível a partir do avanço das conexões sem fio, que possibilitou a criação do que é hoje conhecido como Internet das Coisas.  A Internet das Coisas é um conjunto de tecnologias que busca conectar não apenas computadores, mas qualquer equipamento ao mundo on-line. Estamos falando de utensílios domésticos, móveis, eletrodomésticos, entre outros.  Por estarem conectados à uma rede, é possível controlá-los por controle remoto ou até mesmo quando o dono não está perto de casa.  Funcionalidade Trata-se de uma automação geral de tarefas domésticas, sistemas audiovisuais, de segurança e iluminação. Em geral, o controle é feito através de um painel eletrônico instalado em algum cômodo principal na própria casa.  Uma das vantagens apontadas está na maior sensação de praticidade e controle, já que a maioria das funções estará a apenas  um comando de distância. Esse tipo de comodidade serve bem para pessoas com estilo de vida atarefado, que não possuem tempo para realizar todo o trabalho de gestão domiciliar manualmente.  É possível controlar aspectos de todos os cômodos da casa de perto ou à distância, com o uso de sites e aplicativos próprios.  Confira também: 5 apps para decorar seu imóvel perfeitamente! Benefícios das casas inteligentes O conceito de casa inteligente é vantajoso pelo conforto, praticidade e segurança oferecidos. Existe inclusive a possibilidade de economia de energia, já que há um maior controle simultâneo do funcionamento dos cômodos e aparelhos, utilizando um sistema único e integrado.  Como exemplo do que pode ser controlado por meio dos dispositivos, podemos citar:  Configurar as temperaturas padrão dos ambientes ou alterá-las de acordo com as condições do dia ou da noite;Ajustar a iluminação de cômodos para que as luzes acendam e apaguem em um horário determinado e personalizável Abrir ou fechar cortinas, portas, persianas, permitindo maior aproveitamento do sol ou protegendo contra ventos e chuvas. Controlar temperatura de aquecedor, ar-condicionado, duchas e banheiras Tocar músicas na casa, seja como despertador, música ambiente ou para festas e eventos Ligar ou desligar aparelhos de TV ou cinema Ligar, desligar e monitorar alarmes e sistemas de segurança em tempo real,  à distância, no trabalho ou em uma viagem  E aí, o que achou do conteúdo? O Blog da Axis 21 é atualizado frequentemente com novidades. Até a próxima!

Averbação: descubra o que é e quando averbar

O processo de compra ou venda imobiliária exige muita atenção do ponto de vista legislativo. É importante que os envolvidos nessas transações compreendam o significado de certos termos, garantindo que nenhum detalhe seja deixado para trás.  Pensando nisso, no post de hoje iremos falar sobre a averbação de imóveis. Esse termo, ainda desconhecido para algumas pessoas, é de extrema importância para o mercado imobiliário. Confira!  Afinal, o que é averbação de imóveis? A averbação pode ser definida de maneira simples, apesar do nome soar complexo. Esse termo é utilizado para definir a ação de modificação no teor de um registro, como por exemplo o de um imóvel.  Dessa forma, pode-se dizer que averbar é uma atitude tomada a fim de formalizar todas as eventuais alterações realizadas no registro do imóvel. Ou seja, é uma espécie de histórico detalhando todas as mudanças ocorridas no imóvel ou nas condições de seus proprietários.  Alguns exemplos do uso prático da averbação é a de formalizar a construção ou demolição de cômodos, reformas e alterações em salas e/ou lotes, etc. Todas essas alterações exigem averbação. Além dessas, alterações de caráter civil (como óbito, casamento, divórcio) do (s) dono (s) também precisam ser documentadas.  Saiba mais: descubra a diferença entre escritura, contrato e registro do imóvel Qual a utilidade de averbar? A aplicação prática é principalmente uma: segurança. Com todas as informações do imóvel sendo públicas, garante-se credibilidade e validade jurídica. A averbação garante a transparência e a proteção de direitos, e o acesso a essas informações possui impactos até mesmo na valorização do imóvel. Como e quando fazer a averbação do imóvel? Para que a averbação possa ser realizada, é necessário ir ao cartório de registro de imóveis deste bem. Além disso, você precisará apresentar a documentação solicitada. Os documentos requeridos variam de acordo com a averbação a ser feita. O alvará será solicitado em caso de uma demolição, por exemplo. Ou ainda a certidão, caso a alteração seja referente a um casamento.  Importante: assim que você perceber a necessidade de averbação, dirija-se ao cartório de registro de imóveis. Existem mais de 30 casos de necessidade de averbação na Lei de Registros Públicos, Abaixo, separamos alguns deles. Confira!  Mudança na numeração do imóvel ou prédio Alterações no sobrenome por casamento e/ou desquite Restabelecimento da sociedade conjugalFim da concessão do direito real de uso Construções, reformas, demolições, etc.  Caso a documentação esteja toda em dia, o prazo médio para a averbação ser concluída é de 30 dias a partir da solicitação de abertura do protocolo. É importante reforçar que, além de importante, averbar é uma atitude obrigatória. Caso contrário, não é possível realizar a compra e venda de um imóvel.  E aí, o que achou do conteúdo? Tem mais alguma dúvida em relação a este assunto? Conta pra gente nos comentários! O Blog da Axis 21 é atualizado semanalmente. Até a próxima!